Informes

CONGREGAÇÃO IFUSP

A congregação é o principal órgão deliberativo do IFUSP, 

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Francieli Perez de Lima
Weslley Wanderley de Alencar

Gabriel Aparecido Keler Pelles 
Nicolas Labiapari Maia 

Giovana de Fatima Salamoni de Deus
João Vitor Montagnana Cabral

Giuseppe Matos Esteves e Silva
Lucas Antonio de Sousa Ribeiro

Iago Ribeiro Lisboa

Jhoão Gabriel Martins Campos de Almeida Arneiro
Carlos Alberto Chaves

Lucas de Arruda Serra Filho (Pós-graduação)
Fernando de Almeida Passos (Pós-graduação)

Congregação 15 Jul. 2021

O diretor comentou que o semestre pode voltar a presencialidade no meio do semestre, a depender de mudanças repentinas da reitoria.

a sequência, enquanto esperávamos o quórum, alguns professores socializavam enquanto eram dados informes sobre a mudança de sistema da FAPESP, Contratos de licença com o Zoom, que o contrato com o armazenamento do google tem ainda cerca de dois anos e as mudanças estão sendo discutidas nos bastidores.

  1. Na sequência foram discutidos renovação de termos de colaboração dos seguintes professores:
    João Zanetic
    Marcelo Gomes
    Alberto Villani
    Jesuína Lopes
  2. Equipamento multiusuário para pesquisas de fluídos complexos. Houve o pedido para participação no USP-Multi
  • Marcia Fantini: um dos problemas é a questão do patrimônio dos equipamentos, que atualmente não existe para muitos equipamentos mas que para introduzir no USP-Multi precisa disso. É o governo que faz esse registro.
  • Manfredo: Sugeriu que deveria ser aprovado na congregação e ir resolvendo a questão do patrimônio depois
  • Chubaci: Houve votações anteriores sobre alguns equipamentos, esses equipamentos não são multiusuários ainda? R: Não, é preciso o patrimônio e o cadastro no MultiUSP, o não-cadastro não permite a participação em alguns editais. 
  • Canuto: é complicado. Há editais de áreas estratégicas (PIPAE), que necessita ser integrado, envolvendo mais de uma unidade, são apresentados temas gerais e o edital é grande!
    Esperamos que com isso, tenhamos superado uma série de questões jurídicas para iniciar o financiamento do pós-doc. O valor ainda é baixo R$3800,00 mas abre jurisprudência. Como é ano eleitoral algumas atividades vão sendo suspensas, por isso o edital foi lançado em cima da hora. 
  • Manfredo: E sobre o projeto de bio-física / bio-tecnologia?
  • Canuto: estamos tentando marcar uma reunião com essas as 5 unidades envolvidas, ainda em julho. 
  • Antonio Figueiredo: Esse projeto tem características muito parecidas com os antigos “NAPs”, que foram projetos que alocaram uma série de recursos mas que com os cortes dos gastos foram rapidamente retirados. Queria entender porque não houve realocação de recursos nos NAPs e sim o lançamento de um outro projeto semelhante. Se uma gestão não se compromete com os projetos em realização, o que acontecerá na próxima?
  • Canuto: chegamos a ter mais de 150 NAPs, vários deles não funcionaram bem. A maior diferença desse edital são as áreas estratégicas. Existe agora o CONECTA-FINEP que permite o financiamento direto de empresas a projetos da universidade.
  • Kaline: pedi servidores HPC para a FAPESP e recebi que para isso era preciso criar um multi-usuário, então peço que as pessoas interessadas nisso entrem em contato.
  • Oscar Éboli: O CCIFUSP não dá o suporte técnico necessário pra isso. R.: Estamos buscando discutir uma realocação dos funcionários da informática para cuidar desse multi-usuário de IHPC.
  • Paulo Nussenzveig (chat): “Bom dia. Do ponto de vista da FAPESP, basta ser assinado o termo de outorga do EMU. O pedido da Kaline foi aprovado por se tratar de cluster já existente. A FAPESP está evitando apoiar infra-estruturas computacionais de maior porte para pequenos grupos, estimulando o compartilhamento.” Importante ressaltar que Kaline ainda não recebeu resposta oficial da FAPESP acerca da aprovação de seu pedido.
  • Paulo Nussenzveig (chat): “Kaline e demais. Peço desculpas. Entendi da fala da Kaline que ela tinha recebido um despacho favorável da FAPESP. Como se trata de um edital com outra agência, a análise não se restringe à FAPESP. Nas discussões, houve uma diligência em relação ao pedido de infra-estrutura computacional. Ela esclareceu que seria uma adição a cluster existente. Isso eliminou restrições. Assumi que estava aprovado. Porém, a análise ainda não estava concluída. Logo, não é possível assumir que está aprovado. Me desculpo por compartilhar alguma informação privilegiada (incompleta) aqui.”
  1. Relatório da Comissão Assessora da congregação sobre progressão horizontal
  • Burdman: A CAD (câmara de atividades docentes), parte da comissão permanente de avaliação solicitou avaliações aos institutos. O IFUSP estabeleceu seus critérios de avaliação, nesse consta: recomendação para progressão e classificação para tal.
    Foi criada uma Comissão Assessora da Congregação (CAC), para realizar essas recomendações, com seis membros do IF e seis membros externos. A aprovação requeria no mínimo ⅔ dos membros concordando. 

Foi explicado que essa avaliação foi dividida entre os membros da comissão. Cada membro da CAC avaliou 14 docentes (ao todo são 42); foi feita a prioridade de 1 a 5 (sendo 1 a prioridade mais alta e 5 a prioridade mais baixa)

Queria comentar um pouco sobre todo esse processo, tem sido um processo interessante e ilustrativo. Parece que tem sido uma forma boa de avaliar no futuro. Uma questão em aberto é sobre se haverá recursos, ou não, para todas as recomendações serem atendida, mas do ponto de vista do valor dos processos parece interessante para enxergar o instituto como um todo. É um processo extremamente difícil, porque estamos avaliando nossos próprios colegas. Mesmo com as várias críticas pode ser uma base importante para o futuro.

  • Manfredo: agradeceu a CAC, esclareceu que os recursos do relatório devem ser enviado ao diretor, que será julgado na pŕoxima congregação e que os professores envolvidos no processo também podem/devem votar.
  • Kaline: até que data é possível fazer recursos? R.: O prazo máximo é até dia 25 jul.
    Vai existir um parecer individualizado aos candidatos? R.:Não tivemos indicação de que deveria ser realizado isso via sistema, temos parecerem individuais mas não tivemos indicação de que isso deveria fazer parte do processo, porque houve discussões na plenária, votações onde nem sempre houve consenso, então só um parecer não reflete necessariamente a decisão da comissão.

Até mesmo para balizar os pedidos de recurso seria importante ter esses pareceres para justificar comparativamente as mudanças de prioridade dos departamentos entre as escolhas da CAC. Seria um processo educativo aos docentes apresentar aos que caíram de prioridade porque isso ocorreu.

  • Burdman: Não é tão simples produzir um documento pelos avaliadores falando especificamente sobre cada docente. O ordenamento de avaliação da CAC já leva em conta outras informações sempre que possível, como avaliação sob critérios externos, mas podemos produzir um texto relativo a cada uma das prioridades, cada uma das prioridades tem um conceito relativo a ela.
  • Henrique Barbosa: concordo que o trabalho foi descomunal de fazer esse “merge” entre seis departamentos. Não conseguimos fazer uma balização desses critérios entre os departamentos. Foi feita uma avaliação global, ou específica? Precisamos saber se foram feitas comparações, se os casos foram para as plenárias, se foi avaliado com pesos diferentes ensino, pesquisa e extensão.
  • Burdman: cada departamento teve alguns critérios distintos. A comissão teve como central a análise do projeto acadêmico e a adequação, ou não, a cada nível.
  • Maria Teresa Lamy (chat): “Para mim é claro que cada docente deve ter acesso às 4 avaliações que recebeu, sem precisar saber o nome dos avaliadores. Essa é a maneira que estamos acostumados a trabalhar com artigos que submetemos à publicação, ou projetos de pesquisa à FAPESP. Além de saberem os critérios acordados na Comissão sobre as características de cada prioridade.”
  • Tiago Silva: Sou um professor doutor, recém contratado, e venho participando de diversas reuniões de avaliação docente da pró-reitoria. Nesse contexto de retenção dos professores doutores, com inclusive muitos professores doutores pedindo demissão geral, houve um processo de progressão horizontal que misturou as duas categorias e me parece estranho que o instituto tente segurar apenas dois professores doutores. A avaliação da CAC parece ser uma avaliação melhorada do que vem dos departamentos, mas do ponto de vista global, é um problema.
  • Henrique Barbosa (chat): “Também concordo com o Tiago. Doutores e associados são comparados apenas com seus pares na mesma categoria. Portanto, a distribuição dos doutores deveria ser tão simétrica quanto a distribuição dos associados.”
  • Manfredo: É uma reclamação consistente sobre a CAD.
  • Marina Nielsen: temos que apresentar um repúdio sobre como ocorreu esse processo, não faz sentido avaliar os docentes sem saber se haverá ou não recursos para isso, contudo, classificar pessoas de níveis e áreas completamente diferentes é inaceitável. No meu departamento empatamos como prioridade 1 todo mundo que merecia promoção. Isso nós sabemos fazer e é salutar fazer, que as pessoas estão fazendo o que se esperam delas, mas fazer uma tabela, comparando pessoas em níveis totalmente diferentes da carreira é péssimo. Como isso vai ser levado para a universidade? Algumas unidades colocaram todo mundo com prioridade 1, como vai ocorrer com a gente que tem até prioridade 5? 
  •  Burdman: Isso é algo que todo mundo concordaria. Entretanto, a orientação clara dada a nós é que fizéssemos algum tipo de ordenação. Para fazer avaliação no futuro, isso teria de ser feito de alguma maneira.
  • Manfredo: Lembro a todos que encaminhei à Reitoria uma reclamação sobre o processo, que foi completamente ignorada. Em virtude de uma outra reclamação envolvendo 9 diretores, envolvendo inclusive a POLI, que os empates serão (não entendi). Depois tive que ouvir que o Instituto era o único que tava reclamando. A Reitoria foi muito opaca, não respondia os e-mails. Nós também discutimos nos rebelar contra a Reitoria e não fazer o trabalho, mas acreditamos que isso prejudicaria os professores do Instituto. É realmente um jogo muito difícil, é difícil saber qual é a atitude correta a ser tomada diante do Instituto.
  • Paulo Costa (chat): “Kaline, Henrique e Tiago representam perfeitamente o que penso e a mensagem da Teresa complementa. A resolução 7272 art.1º diz ‘O processo de avaliação deve estar baseado no cultivo da capacidade crítica, promovendo a transparência, a missão pública da Universidade, sua autonomia e identidade’. Então, se alguns departamentos avaliaram de uma forma alguns dos candidatos que, por exemplo, foram classificados em uma dada prioridade e eventualmente empatados e no resultado final apresentado pela CAC essas posições foram diferentes, os docentes precisam entender como essas classificações diferentes foram processadas pelas diferentes comissões, mesmo tendo como base as mesmas informações (Projetos acadêmicos). Isso é educativo aos docentes e transparente.“
  • Elisabeth Yoshimura: acho que devemos não votar esse relatório hoje mas que seja enviado os parecerem aos candidatos e adiássemos a aprovação desse relatório, pois os recursos apenas podem ser enviados a partir desse recurso. todos tem o direito de saber como foram avaliados.
  • Marcia Fantini: Acho que deve ser dada prioridade a todos que foram merecedores de promoções que foram avaliados pelos seus pares, porque há recursos pra isso. Muito mais que fazer propaganda política dando recursos para projetos x,y ou z. Temos que valorizar os recursos humanos da universidade, sejam docentes ou funcionparios
  • Carlos Chaves: sobre o aumento de vigilancia. O grande mérito da CAC que é apresentar como os docentes podem se organizar acaba restrita pelo caráter classificatório. Que gera constrangimento sobre sua exposição.
  • Ivone; discorda da Beth sobre adiar a votação do relatório pois os prazos estão apertados.
  • Beth:sem a garantia dos candidatos receberem os parecerem não podemos aceitar porque não dá para os candidatos entrarem com recursos.
  • Paulo Costa (chat): “Sugiro que, para cada recurso, a CAC opine e o Diretor indique um parecerista membro da Congregação, externo à CAC, que faça outro parecer. Os dois convergindo, a congregação aprova com facilidade. Em casos de divergência, a Congregação discute e aprova ou não a solicitação. Só uma ideia.”
  • Marcia Fantini; cobrou posicionamento político do instituto para que os recursos da universidade sejam utilizados para progressão horizontal de docentes e funcionários.
  • Renato Jardim: criticou o processo, indicou que deveríamos valorizar o trabalho da CAC fazendo um agradecimento público. Apresentou que não estamos acostumados a fazer avaliação em quatro eixos.
  • Nestor Caticha: As pessoas entram jovens e iludidas com o ensino e pesquisa, mas a reitoria vem dando peso para a gestão. Todo esse processo vem dando mensagens aos professores mais novos sobre o que se espera deles, de que eles devem logo no início de carreira participar de comissões. Precisamos especialmente que os professores sejam bons pesquisadores e professores não que saibam detalhes estatutaŕios e adminstrativos.
  • Ricardo Galvão: Concordo em parte com o Nestor, pesquisa e ensino são de fato primordiais mas nas questões administrativas temos que levar em conta os combinados que foram feitos nos departamentos, para isso ser devidamente considerado. 
  • Henrique Barbosa: acho que devemos deixar claro uma coisa: a pessoa interessada em fazer um recurso deve enviar email para quem? R. do Gustavo: deve enviar email para a diretoria.
  • Manfredo: Bom, resumindo: Gustavo concordou em disponibilizar ainda hoje uma descrição acerca dos critérios avaliativos da comissão. Candidatos que precisarem pedir recurso poderão buscar um segundo parecer da CAC. E será enviado um relatório à CAD com críticas ao processo. Me comprometo a fazer isso.
  1. Comunicações
  • Video curso de física médica; https://youtu.be/CrRwCMFQM7I 
  • Bifusp –  atividades academicas e científicas, 
  • IFCOM – mais focado em comunicados administrativos.
  • Acolhimento integrada, a funcionária Renata Matsumoto se demitiu, deixando um grande vácuo administrativo no instituto, especialmente no acolhimento que está sendo acompanhado de forma temporária pela Malu
  • 4ª chamada pública do serrapilheira, 12 jovens serão apoiados, 2 professoras do IFUSP receberam. Barbara (R$ 500 mil reais) e Elisa Ferreira.
  • Galvão propõe a congratulação a um docente que ganhou o premio CBMM de ciencia e tecnologia 2021 (R$ 500 mil reais) Vanderlei Bagnato
  • Está sendo iniciada a preparação do evento USP-PROFISSÕES
  • Valdir: duas informações 1. o funcionário Adailton sofreu um infarto, temos que nos cuidar; 2. o assistente financeiro Marco Ricci, a esposa e o filho estão com COVID-19. O filho não foi vacinado.

 

ORDEM DO DIA

  • Aprovada a criação do cargo de vice-diretor na CAP(Comissão de Apoio Profissional), será o professor André Rodrigues Machado (ótimo para desafogar o Ademir e agilizar os processos, dado que algum professor precisa assinar todos os processos.)
  • Mais professores sêniores trabalhando conosco. Ou melhor, continuando como seniores. Foram aprovadas 5 renovações de termos de colaboração: Emico Okuno, Nobuko Ueta, Nei Fernandes de Oliveira Jr, Josif Frenkel e Luiz Toledo Machado. Só não pode servir para cessar as contratações =)
  • Aprovado “termo de permissão de uso” do prédio da Sociedade Brasileira de Física (SBF). O prédio é do IFUSP, mas foi juridicamente doado pela SBF e cedido para uso sem custos pelo IFUSP. – A defesa dessa ação foi para regularizar a atuação da SBF já existente e foi apontado que isso trás benefícios acadêmicos e políticos ao IFUSP, é interessante notar que essa crítica aparece por estudantes de outras instituições no país. 

ESTATUTO DE CONFORMIDADE DE CONDUTAS

Contextualização: No final de 2020 foi enviado aos Institutos uma proposta de modificação do Estatuto de Conformidade de condutas (vigente desde a ditadura) pela Reitoria. Na primeira comunicação a reitoria deixou claro que gostaria de aprovar o novo estatuto o mais rápido possível (indicando um prazo que impossibilitava o amplo debate, envio de novas propostas, etc). Isso foi denunciado por diversos Institutos, Centros Acadêmicos e Sintusp, levando à extensão do prazo  de discussão e maior abertura para envio de outras propostas.

Os RDs do IFUSP vem debatendo o assunto internamente desde que conseguiram o documento, que é bastante problemático, fere direitos constitucionais é extremamente punitivista e abre espaço para má interpretações que podem ser danosas ao convívio numa universidade, ao passo que não toca em problemas reais relacionados à vida universitária.

Nesse contexto, uma das pautas da congregação de hoje era aprovar uma manifestação do IFUSP acerca do Estatuto de Conformidade de Condutas proposto pela reitoria. A Manifestação do IFUSP é contrária à forma que o processo de elaboração do estatuto de conformidade de condutas foi realizado, apresenta alguns de seus erros sistemáticos e pode ser acessada no anexo (anexo 10 – Sobre a Proposta de Estatuto de Conformidade de Condutas) Foi aprovada por consenso!

COMUNICAÇÕES DA COMISSÃO DE GRADUAÇÃO

Foi apresentada a tabela abaixo e discutido que a CG está de acordo com o recém posicionamento da diretoria de expandir o quadro de monitores. No entanto, eles prevêem alguns problemas orçamentários nos próximos anos. Por isso, foram criados critérios de prioridade para que os docentes peçam monitores:

  1. Disciplinas obrigatórias com muitos alunos (>50)
  2. Disciplinas optativas com muitos alunos e obrigatórias com poucos alunos
  3. Disciplinas optativas com poucos alunos (<50)

No futuro se pretende estabelecer melhor um número de monitores por disciplina e uma melhor definição de monitores tipo “C” e “bolsistas”. As prioridades ainda serão discutidas em outras instâncias (departamentos, CTA, etc).

Monitores por ano nos últimos 5 anos:

 

2016

70

2017

76

2018

72

2019

87

2020

105

2021

107

As Bolsas PAE vêm sendo cortadas há um tempo. A CPG está tentando argumentar com a PRPG sobre. O instituto está “tapando o buraco” enquanto isso. Ou seja, as monitorias não aumentaram de forma absoluta, se mantiveram estáveis mas foram reduzidas na modalidade que pagava um pouco a mais vinculada à Pró-Reitoria.

Também foi apresentada a Planilha de acompanhamento da Carga Didática do IFUSP, criada recentemente que apresenta os ÚLTIMOS 20 ANOS, MOSTRANDO AS DISCIPLINAS QUE CADA PROFESSOR OFERECEU!
Essa iniciativa pode contribuir muito com algumas das reivindicações estudantis e para compreender o funcionamento geral do instituto.

Projetos aceitos (O IFUSP participou de alguns editais recentemente)

CAEG

EWOUT Ter Haar (IF) e P. Dutra (FEARP): readequar disciplinas para o formato híbrido/digital (1 monitor durante um ano e um notebook) Reformulação do curso de Óptica em 2021 e criação de um “template”

PEMRECCG

Luís Gregório Dias e COC-B: reorganização das disciplinas da área de física computacional (~ 75 000 Reais em equipamento e monitorias) Deslocamento na grade semestral; ênfase na metodologia ativa; ênfase nas ferramentas de manipulação simbólica (Mathematica) nos primeiros semestres

SANTANDER

Alexandre Correia e COC-B: modernização dos laboratórios didáticos (~40 000 Reais)

SANTANDER / EDUCAÇÃO

André Rodrigues e COC-L: tecnologias digitais e media na formação de professores (1 educador e 1 bolsista)

OBS: Na verdade o projeto do SANTANDER foi encabeçado pelo Prof.  Antônio Domingues.

Segundo o diretor, o pró-reitor de graduação incentivou os institutos a enviar projetos (com relação à infra-estrutura de laboratórios?) caso necessitem.

COMUNICAÇÃO COMISSÃO DE PESQUISA

Existe um cronograma de colóquios, a ideia é que tenha cada vez mais esse tipo de atividade no próximo período, para incentivar o vínculo da comunidade.

  • Várias palestras com professores daqui e de outros lugares do mundo.

COMUNICAÇÃO COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO

Projeto USP MÓVEL, não vai ter edital, os projetos deverão ser mandados diretamente para a pŕo-reitoria de cultura e extensão. O objetivo do projeto USP-móvel é: “Levar ações concretas para a população do Estado de São Paulo. Contribuir para melhorias da qualidade de vida da população e maior consciência social, cultural e científica da sociedade”; “A Pró-Reitoria de Cultura e Extensão disponibilizará permanentemente duas unidades móveis para serem instaladas em locais públicos de cidades dos principais campus da USP, da capital e do interior do Estado de São Paulo, bem como em demais municípios do Estado de São Paulo”. As unidades móveis são caminhões equipados com cadeiras, projetores para exposição etc, o custo é de 7 milhões de reais para a empresa que presta o serviço.

Edital para mudança da identidade visual da USP em 2022 está aberto.

COMUNICAÇÃO CPGI

Está havendo processo seletivo 129 candidatos (mestrado e doutorado em ensino)

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

NÃO TEVE REUNIÃO DESDE A ÚLTIMA CONGREGAÇÃO

OUTRAS COMUNICAÇÕES

ROLANDO SONDAGEM DE DOCENTES QUE TRABALHAM COM BIOTECNOLOGIA / BIOFÍSICA. Isso parece ser o direcionamento que o IFUSP quer dar para sí, com a criação do novo curso de física médica, e realização de simpósio de bio-tecnologia ainda em maio. Instituto se manifestar, se unir e montar um laboratório. Há interesse da pró-reitoria de pesquisa em apoiar.

GT FÍSICA-MÉDICA

Entrou no manual da FUVEST, vai entrar no curso da mesma carreira de física médica de Ribeirão Preto. Estão avançando na parte de divulgação (sobre a carreira e sobre o curso), o curso será feito em conjunto com a faculdade de medicina, em breve será criada uma CoC para o novo curso.

GT PÓS-COVID

Seguem mapeando, aparentemente ninguém pegou o vírus no instituto. Todos que tiveram algum tipo de contato e foram ao instituto devem preencher.

O professor Marcos Nogueira, ex-diretor do IFUSP esteve internado em estado grave com Covid19 mas está se recuperando em casa.

  • MUDANÇAS NA PROGRESSÃO NA CARREIRA DOCENTE
    • Está sendo debatido a nível USP mudanças de critérios na progressão da carreira docente, existem alguns prazos que foram questionados pelos professores do IFUSP para realizar essas indicações com responsabilidade, a principal mudança aparentemente se refere à mudança de professores “livre docentes” podendo se tornar “associado”
  • MUDANÇA NO SISTEMA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS COM A FAPESP
    • Haverá mudança de sistema de prestação de contas USP-FAPESP, o novo sistema se chama GIP e a principal justificativa é ter acesso fácil a quanto de dinheiro entra via Fapesp na universidade.
  • 8 MARÇO
    • Haverá evento de premiação para pesquisadoras na USP
  • PROJETOS “INOVAÇÃO TECNOLÓGICA” IFUSP
    • Contextualização: A Universidade, com a pandemia, abriu uma série de editais para fomentar o avanço da chamada “inovação tecnológica”, se por um lado parece bastante atraente (porque é dinheiro entrando e mudanças sendo propostas) por outro temos que ficar atentos pois isso pode agravar ou mascarar problemas mais profundos, como a falta de professores, não progressão de carreira, contratações precárias, financiamento privado, manutenção do Ensino Remoto mesmo quando da volta a presencialidade, incentivo ao empreendedorismo, etc. (alguns dos projetos aprovados no edital CAEG pode ser acessado em: https://jornal.usp.br/institucional/46-propostas-de-consorcios-academicos-foram-selecionadas-para-2021/)
      O IFUSP escreveu alguns projetos para participação nesses editais, que não apresentam a princípio muitos dos problemas apresentados acima, são eles: 

CAEG

Ewout Ter Haar (IF) e P. Dutra (FEARP) – Readequar disciplinas para o formato híbrido/digital (1 monitor durante um ano e um notebook). Reformulação do curso de óptica em 2021 e criação de um “template”.

PEMRECCG

Luís Gregório Dias e COC-B – Reorganização das disciplinas da área de física computacional (~R$ 75 000 em equipamentos em monitorias). Deslocamento na grade semestral; ênfase na metodologia ativa; ênfase em ferramentas de manipulação simbólica (mathematica) nos primeiros semestres.

André Rodrigues e COC-L – Tecnologias digitais para a Licenciatura (~R$ 75 000 em equipamentos em monitorias).

SANTANDER 

Alexandre Correia e COC-B – Modernização dos laboratórios didáticos (~R$ 40 000)

  • MONITORIAS
    • As monitorias em 2021 reduziram um pouco na modalidade PEEG, o que será questionado pelo IFUSP nos órgãos responsáveis, os números e prazos para as demais são os seguintes:
      Monitores C e monitores bolsistas (cerca de 90 bolsas). Candidatos devem fazer a inscrição no site da CG entre 12 Fev. a 12 Mar. A solicitação pelos docentes deverá ser realizada entre 13 Mar. a 31 Mar.
      Monitores PEEG (cerca de 5 bolsas). Candidatos devem fazer a inscrição no Júpiter entre 15 Mar. a 29 Mar.
      Monitor PAE (cerca de 20 bolsas). Candidatos devem fazer a inscrição no Janus.

  • BOLSAS de Mestrado e Doutorado (ME/DO)
    • Mudanças no “novo” critério de distribuição de bolsas da CAPES, com o objetivo de corrigir anomalias, fizeram com que tivéssemos mais bolsas para este ano, Repare a melhor distribuição de bolsas ME/DO:

      BOLSAS CAPES

       

      2019

      2020

      2021 (antes)

      2021 (atual)

      Mestrado

      20

      23

      23

      41

      Doutorado

      49

      39

      34

      53

      No caso das Bolsas do CNPq, o cenário se inverteu com relação ao ano anterior:

      BOLSAS CNPQ

       

      IF

      IFSC

        

      2019

      2021+ (proj.)

      Orientadores permanentes

      105

      83

       

      Mestrado

      42

      24

      Alunos matriculados

      370

      250

       

      doutorado

      46

      16

      Fluxo* M CNPq (até 2020)

      10,5

      4,25

          

      Fluxo* D CNPq (até 2020)

      5,75

      2,75

          

      Concessão M CNPq (1º 2021)

      5

      4

          

      Concessão D CNPq (1º 2021)

      2

      1

          
  • IMPACTO DA COVID 19
    • Também houveram alguns informes com relação aos impactos da COVID-19 para a pós:
      – Prazos para proficiência, qualificação e defesas têm sido adiados – por enquanto, até um ano. Há discussões sobre ampliar essas extensões.
      – Bolsas têm sido estendidas por 2-6 meses, dependendo da agência. Não há sinais de que essas extensões serão ampliadas, o que representa um dilema para pesquisas experimentais.
      – Print/USP suspenso; BEPEs da FAPESP também têm encontrado grandes obstáculos; intercâmbios (p.ex.: Uppsala) também têm sido adiados. Desafio para internacionalização.
      – Disciplinas continuam online por enquanto (1º Semestre pelo menos)

      E alguns procedimentos para a defesa:
      – O depósito de teses e dissertações agora é feito online, no Janus, diretamente pelos alunos. Envio de “bonecos” é agora ainda mais desestimulado.
      – Os procedimentos para indicar as bancas e marcar as defesas foram simplificados e flexibilizados.
      – Em particular, docentes e alunos terão maior autonomia(e maior responsabilidade) para marcar as datas de defesa em conjunto com os membros da banca. Essas novidades serão explicadas durante as próximas semanas.

  • EQUIPAMENTO PARA ELIMINAÇÃO DO COVID-19 NOS AMBIENTES

    • Professores elaboraram um equipamento com baixo custo capaz de eliminar o COVID do ar que circula nas salas, isso é especialmente importante para realização de higienização entre atividades. O equipamento utiliza uma lâmpada UV. 

  • CONSELHO UNIVERSITÁRIO

    • O próximo CO será dia 09 Março.

COMPLEMENTO AO REPASSE (Dimmy Nanclares)

Tem duas coisas em jogo:

1) Quando a pandemia evoluiu e a economia piorou, surgiram várias leis para congelamento dos gastos públicos. Neste sentido, foram cancelados/congelados os concursos para contratação de novos docentes e as promoções também foram congeladas. A Livre-Docência é um título, assim como “Mestre” ou “Doutor”, então qualquer pessoa pode se inscrever para o exame, nem precisa ser docente da USP. O ponto é que docente da USP que obtém o título de livre-docente é automaticamente promovido para “Professor Associado”. Como durante a pandemia foram paralisadas as promoções, alguns docentes fizeram o exame mas não foram promovidos. Houve um novo entendimento jurídico que eles poderiam passar para Profs. Associados, sim, pelo que entendi. Então essa situação seria normalizada.

2) Abriu em 2020 o processo para Progressão Horizontal na carreira docente. O que é isso? Existem 3 “tipos” de docentes: Prof. Doutor, Prof. Associado e Prof. Titular. Professor doutor é o mais simples e titular é o topo da carreira. Acontece que além das progressões verticais (que significaria passar de uma categoria para outra), existem níveis “horizontais”: Prof. Doutor 1 e Prof. Doutor 2, Prof. Associado 1, Prof. Associado 2 e Prof. Associado 3. Cada nível significa um aumento salarial de aproximadamente R$1000. Então quem é, suponha, Associado 1, pode se inscrever para ser Associado 2 e ganhar R$1000 a mais de salário. Acontece que por conta da crise, a reitoria supôs que ia ter pouco dinheiro e não ia dar pra progredir todos que merecessem, então eles tiveram uma ideia “jenial”: pediram pras unidades fazerem um RANKING docente. Fulano é melhor que Ciclano, que é melhor que Beltrano 😂 muito boa ideia. Então Fulano ganha aumento e Ciclano não. Por pouco não implodiu os departamentos, teve briga de amigos pq um se acha melhor que o outro e etc. Mas na verdade a crise financeira não foi tão grande assim, e deixarão todos que merecem progredir. O Instituto não precisará mais rankear os docentes um a um. Os prazos que estavam curtos antes eram pra montar esse ranking, mas agora ele não precisará existir mais.

CTA - CONSELHO TÉCNICO ADMINISTRATIVO

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Keith Richard Brauer Sales
Jean Michael Santos de Oliveira

Comissão de Graduação (CG)

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Ivanice Avolio Morgado
Caterine Silva e Souza

Carga Didática

Realizei o pedido dos estudantes da licenciatura referente à disciplina de complementos de mecânica, o que foi apresentado é que devido à falta de professores e a dificuldade de fechar a carga, não se sabia se haveria um professor que poderia dar essa matéria, principalmente porque ela não foi colocada como opção no questionário de preferência dos professores, já que a princípio, não seria oferecida. Porém, eles entraram em contato com o professor que irá oferecer mecânica I pro bacharelado, para aceitar os requerimentos dos alunos da licenciatura. 

Ainda por conta da falta de professores, foi discutido não oferecer a optativa de física experimental VI, mas entraram em contato com o prof Toninho e a Rosangela para saber a opinião deles ou se estariam interessados em oferecê-la. 

A previsão de fechamento da carga didática era de até o final dessa semana (2/07).

PPP

A mudança no PPP somente irá contemplar as AACs, a transformação das disciplinas de fiscomp 1 e 2 em matérias obrigatórias será prorrogada! Isso foi graças a articulação entre os estudantes e os departamentos! Esperamos que isso seja reformulado e é importante que nossas contribuições sejam mais ativas nesse processo e ainda há discussões a vir. 

Perguntei sobre a questão do perfil do aluno presente no PPP, pois possui dados de 2014 e precisa ser atualizado. Foi encaminhado que fosse questionao na Fuvest se eles tinham essas informações para passarem à CG. 

Sobre as AACs, está sendo proposto que seja de 60h. O departamento dde fismat questionou os créditos AACs das ICs, não sendo um acordo do departamento. No CTA veio o pedido de que as ICs tenham mais créditos e a comissão de pesquisa é favorável ao aumento. Estágios vão poder ser contabilizados como AACs, sendo contabilizado ou na comissão de graduação, por meio da categoria profissional extramuros, ou pela comissão de pesquisa, na categoria de estágio em empresas, sendo considerado 20h (ou dois créditos). Porém, foi levantado como evitar ambiguidades nessa contabilização de créditos. Também foi dado o aviso de que as horas obrigatórias de estágio da licenciatura não podem ser contabilizadas como AACs. 

Edital PRG Laboratórios 

É um edital que envolve mais dinheiro e podem ter projetos mais ambiciosos. A direção tomou a frente disso e está conversando com alguns professores, como o prof Chubacci e Leandro. 

O prof Higa conversou com o prof Chubacci e o prof Caetano, esses professores estão submetendo dois projetos independentes. O edital possibilita que até 3 projetos sejam enviados por cada CG. Parece que assim foi feita a estratégia de enviar mais projetos para que tenhamos mais chances de sermos contemplados. 

O prof Chubacci está encarregado de propor alterações em disciplinas de  laboratórios já existentes, mudando alguns experimentos, dentre outras coisas. O prof Caetano está propondo um novo laboratório envolvendo realidade virtual, focando na física médica e de partículas. 

Edital Codage

É um edital que contempla dinheiro para a infraestrutura. 

Ideias foram levantadas como: melhoria das salas de aula, colocar lousas digitais, trocar projetores e etc, reforma dos auditórios, ter um sistema de refrigeração central, para também colocar um filtro.

Estão procurando alguém para tomar frente na escrita desse projeto. 

Congresso de graduação em agosto: 19, 20 e 21 – feito online 

Pensaram se haveria algum projeto que o IF ou a CG poderia apresentar. Foi colocado mais como um informe no final da reunião. 

Conversa com avaliadores do curso de bacharelado no dia 6 e 7

Pessoas foram escolhidas para fazer uma avaliação do curso e irão falar com diversos grupos do IF, docentes, estudantes e professores. A conversa com os estudantes será no dia 6 às 10h.

  1. Informes
  • Terá eleições da CG em agosto.

Prof Navarra não possui intenções de se candidatar novamente. Deixou-se indicado que o Prof Luis Gregório (atual vice) se candidate à presidência, montando uma chapa com o Prof André Vieira. Mas estão rondado o interesse dos professores e professoras que compõe a CG ainda. 

  • Discussão sobre carga simples e dupla no DFN

O departamento de física nuclear alterou suas definições de carga simples e dupla para 4h e 8h respectivamente, para ficar de acordo com as definições da maioria dos departamentos. 

Prof Alexandre Correia comentou que vai levar isso pra FAP, se este departamento também mudar sua definição, todos os departamentos terão um posicionamento igual sobre CS e CD. 

  • Casos de Racismo e LGBTfobia 

Foi informado os casos que repercutiram recentemente entre os estudantes. Prof Navarra pediu alguma documentação/prova do ocorrido do racismo para levar à CG do IME. 

  1. Aprovação das mudanças no PPP

Prof Navarra apresentou um resumo das principais objeções de cada departamento, em resumo, se questionava como ficariam as AACs para o noturno, as aulas aos sábados, a redundância das ementas e o aumento do número de créditos obrigatórios. Havia um colocamento específico sobre a matéria de química dada pro bach, pedindo para voltar a ter atividades em laboratório (mudando para a mesma disciplina que é ofertada para a lic). 

Por causa do aumento de créditos obrigatórios, alguns departamentos sugeriram suprimir MAC0115. 

Houve o repasse das objeções dos alunos sobre a proposta, de acordo com o que foi falado em assembleia, apontando o questionamento da ordem das disciplinas, a aula aos sábados, a utilização de softwares pagos e que a mudança seja feita para formar pessoas aptas a trabalhar com análise de dados. 

Sobre o que os estudantes apontaram, os professores se colocaram abertos a ministrar fiscomp 1 com alguma linguagem simbólica que seja software livre, mas recordaram que a licença do mathematica é comprada pela USP sem limite de usuários. 

Sobre a ordem, defenderam que seria útil haver um suporte do que é visto em física 1, lab 1 e cálculo 1 em fiscomp, para trabalhar melhor esses entendimentos e atuando na permanência dos alunos no curso. O que se entende é que é necessário atualizar os cursos de programação, para ensinar plot, documentações e pacotes diversos e outros ambientes de programação, como o jupyter notebook. 

Sobre o trabalho com análise de dados, foi algo adicionado no programa, mas que a intenção era que com a programação sendo dada no início do curso, o aluno sinta o interesse na área mais cedo, pra poder ver essa carreira como possibilidade. Mas sabem que o curso de fiscomp 1 e 2 não é voltado para a área. 

Com isso, foi posto que as aulas aos sábados NÃO são mais uma opção e que irão pensar nas futuras reuniões da CoC-B como adequar a proposta. E também, deixar 60h obrigatórias de AACs, pensando na dificuldade do noturno em cumprir essas horas (antes o que estava sendo proposto eram 90h).

Como proposta inicial, foi pensado em retirar uma das matérias do IME, para evitar a redundância das ementas e o aumento de créditos obrigatórios. Uma primeira opção pensada foi retirar MAC0115. A RD defendeu que talvez com a mudança de ementa de fiscomp 1, se focando mais na linguagem simbólica, que não haveria mais tanta sobreposição com fiscomp, e como fiscomp não se propõe a ensinar lógica de programação, se abriria uma lacuna na formação e que talvez houvesse mais sobreposição com calculo numérico. 

Também foi falado de uma preferência a tirar fiscomp 1 do primeiro semestre do diurno, colocando tanto pro diurno quanto pro noturno a disciplina no 2 semestre, evitando maiores disparidades entre os dois cursos e problemas com a falta de docentes para ministrar as disciplinas. 

Todas essas sugestões foram ouvidas e ficou como algo a se pensar para por fim criar uma nova proposta a ser encaminhada aos departamentos, dentro de mais ou menos 15 dias. 

(Foram ideias jogadas, a reformulação é feita dentro da CoC-B e discutida depois!)

  • Apresentação do Professor Marcassa 

O professor foi convidado na reunião para fazer uma fala sobre como foi o processo da denúncia das irregularidades nas cargas didáticas dos docentes. [RD chegou 20min atrasada e não pegou sua fala completamente]. 

Isso anda sendo bastante discutido pela CG, pois pela LDB os professores precisam cumprir 8 créditos aula por semestre, porém isso não é cumprido pelo IFUSP. Uma das soluções propostas é a de AACs também para docentes, que daria créditos para IC, supervisões, dentre outros. Contudo, parece que no caso das ICs, isso está limitado a contabilizar somente 1 crédito, o que foi apontado como injusto pelos docentes. 

  • Informes 

PART: foram submetido vários projetos do IF, mas somente um foi aprovado, foi comentado que o processo de escolha dos projetos foi pouco transparente. 

carga didática: foi enviado um e-mail aos docentes perguntando suas prioridades no oferecimento das disciplinas. Foi enviado junto um aviso para que os docentes se preparem para outro semestre EAD. 

eleição da CoC-Lic:Profa  Cristina foi reeleita como presidente, com o Prof Ivã como suplente. Estão planejando atualizar os programas das disciplinas e fazer uma revisão dos pré-requisitos. Vão realizar uma formação com os integrantes da comissão sobre assédio sexual nas redes sociais e também vão indicar que esse tema seja abordado na semana da licenciatura, devido a uma denúncia que foi recebida. 

Campanha de solidariedade do cefisma, deixado o link no chat. 

Drive infinito do google acabou, mas parece que isso vai afetar pouco o IF, já estão comprando mais armazenamento para que os professores possam usar. 
Auxílio informática foi solicitado à reitoria, está em trâmite ainda, foi encaminhado perguntar ao cefisma se poderiam fazer um mapeamento dos estudantes que precisam desse auxílio, encaminhando isso à CG. 

  • Carga dupla e carga simples

Foi perguntado nos departamentos como se define a carga dupla e simples, no levantamento dessas respostas foi apontado que seria bom uniformizar essas definições, para que um docente em um departamento não trabalhe mais que o docente num outro departamento, e para que também cumpra a LDB. Propostas nesse sentido ainda vão ser levantadas, por enquanto, se pensou em definir carga dupla como 8 créditos, ou como 10 créditos. 

  • Estrutura curricular e física computacional 

Há a intensão de aprovar fiscomp 1 e 2 como obrigatórias no primeiro ano, porém, é problemático esse encaixe para a turma do noturno, pois já há 20 créditos aula no primeiro semestre do noturno, para ser possível que essa matéria seja adicionada nesse semestre, se propôs que esta matéria seja no formato hibrido para o noturno, com uma aula gravada e uma aula para tirar dúvidas no sábado. 

Foi comentado que como sábado é dia letivo na USP não haveria problema com isso, já que antes da reforma curricular de 2015 haviam aulas de sábado. Contudo, essa reforma foi feita com a intensão de diminuir os crédito aula das disciplinas, para que os alunos do noturno não tivessem aulas de sábado. Isso era problemático também na escolha de carga didática, pois muitos docentes não queriam pegar as aulas de sábado. 

A RD também fez uma fala comentando que essa solução para o noturno é inviável, já que é uma turma que normalmente trabalha de manhã, já sendo complicado acompanhar as aulas e o ambiente acadêmico e justamente esse grupo de pessoas sairia de forma mais prejudicada, sendo a única turma com aulas no sábado, nesse formato híbrido, o que é injusto. 

Foi encaminhado do prof Higa, presidente da CoC-B, realizar um documento explicando essas mudanças, para ser enviado aos departamentos, para que sejam informados da proposta, pois isso deve ser aprovado em congregação. 

A grade do noturno ficaria: fiscomp1 no primeiro semestre, fiscomp2 no segundo semestre, no terceiro semestre não haveria matérias computacionais, no quarto teria mac115 e no quinto semestre, cálculo numérico. 

O intuito é que se ganhe mais familiaridade com a computação ao longo da graduação, desde seu início. 

Fiscomp 1 teve sua ementa alterada, para incluir o ensino do mathematica. Fiscomp 1 e 2 são matérias de 2 créditos, enquanto que mac 115 e cálculo numérico possuem 4 créditos. 

ANEXO: CONTRA-PROPOSTAS PRELIMINARES DOS RDS


Informes

Primeiramente foi passado alguns informes, por conta do tempo apertado do edital PART, os projetos submetidos de cursos dados por pós docs não foram aprovados em reunião da CG, tendo sido avaliados pelo Navarra. Um projeto feito pela Cristina e o André foi submetido pro edital Santander e aprovado. Esse projeto tem um enfoque pra lic, tendo como temática a tecnologia como elemento que perpassa pela educação. Outro projeto em andamento da licenciatura é o currículo com ênfase em ciências, para atender a demanda recente de que foi introduzido mais conteúdos de física a serem dados durante o ensino fundamental, isso envolve colaboração com o IO, IGc, Bio, dentre outros. Também foi falado que na última reunião da coc bach foi apresentado o relatório da Funchal. O Higa apresentou poucos dados que estavam presentes no relatório, mas ficou a disposição para tirar dúvidas futuras. Apresentei que o relatório poderia indicar uma tendência a só beneficiar alunos já com uma boa base, segregando muito os alunos. Uma outra apresentação disso com uma conversa mais aberta a todos será feito no evento da graduação organizado pela CG.

Avaliação de caso de aluno

Foi comentado o caso de um aluno com problemas na matrícula, tentou se tranferir para o IME, mas não conseguiu confirmar matrícula por causa de problemas com o e-mail, mas mesmo assim o júpiter desligou sua matrícula com o IF. Ao final da discussão, se acordou que não haveria porque não deixar que ele voltasse a se matricular no IF.

Carda didática dupla

A pauta seguinte foi discutir a questão da carga dupla, como a definir. Isso é responsabilidade de cada departamento e na pandemia é difícil que o número de alunos atendidos seja um critério, já que a maioria das turmas possuem mais de 100 alunos. Isso foi comentado pois professores de uma equipe juntaram algumas turmas para poderem ministrar uma aula só, algo que não aconteceria no presencial. Foi comentado também a irregularidade da definição de carga simples no IF, que não está de acordo com a LDB.

AACCs

Problemas burocráticos na implementação dessas atividades no currículo.

Higa traz um panorama dos tipos de atividades, além de os exemplificar: graduação, cultura/extensão e pesquisa. Não há necessidade imediata de implementar todas de uma vez.

Dificuldades na implementação não ocorrem tanto na Licenciatura por conta de atividades e comprovação Maia facilitada como ocorre com os estágios.
Tipificação e atribuição do número de créditos destinados a AACCs: 3 créditos = 90h (atividades dentro dos tipos seriam escolhidas pelo aluno de bacharelado). Higa propõe discussão conjunta para atribuição de créditos AACCs na Licenciatura.
Essas atividades devem ser incorporadas até o prazo final da mudança do PPP e da emenda de acordo com as mudanças que vem com o curso de Física Computacional (~ agosto).

Cristina traz que a implementação das AACCs exclusiva do bacharelado, dado que a licenciatura tem as horas de ATPAs, explicando que estas estavam inclusas na disciplina de Projetos, que nem chegou a ser ministrada, mas que a primeira leva aconteça em formato de portfólio (~7 créditos = 200h).
Renato traz que na comissão que discutiu as AACCs, havia muitos representantes de cursos da Licenciatura e que discutiram sobre os excedentes das ATPAs fosse inclusas nas AACCs, o que sugeriria que a licenciatura também tivesse AACCs.


Guia da Faculdade (Quero Educação)

Versão final foi entregue à Sandra por quem organizou na comissão ano passado, parece. Navarra disse que vai tomar as providências, junto a Sandra de tentar responder ao questionário proposto.
Susana levanta sobre o retrabalho de ter que fazer coisas que talvez tenham sido perdidas, sem saber os propósitos, sem haver transparência de como a organização vai utilizar o que lhes for enviado.
Luis levanta que Física USP tem 4 estrelas (a licenciatura com 4, bacharelado com 3), enquanto USP-SaoCarlos tem 5.

As pautas foram:

-Edital Santander
-Afastamento de professora
-E-disciplinas
-Monitoria
-Física I e II para o IAG
-Kit para laboratório
-Alteração de ementa de fiscomp
-Aprovação de disciplina optativa

Para o edital Santander, que neste ano tem o objetivo de contemplar a área das exatas, será enviado um projeto para mudanças no laboratório de moderna, Física experimental V, tendo sido desenvolvido primeiramente pelo prof Toninho. Foi falado sobre contemplar outras disciplinas no projeto, mas ele ficaria muito longo e o prazo é curto para poder desenvolver algo mais amplo. Foi citado uma certa responsabilidade do Instituto de Física ter um laboratório de moderna bem estruturado. Os instrumentos a serem comprados poderam ser utilizados em outras disciplinas a princípio. Foi criticado um ponto no texto pelo presidente da CG Fernando Navarra: “Vi também um toque no texto sobre manutenção, o Toninho fala sobre a falta de infraestrutura, mas acho que isso não deve ser o enfoque do projeto e não é o que o lado de lá quer ouvir, q eles querem um enfoque na inovação”. O que dá a entender que mesmo que o projeto seja aceito não haveria mudanças significativas nas salas de laboratório.

Para acessar o Edital:
https://drive.google.com/file/d/1dHWPh2t37ht8F2Oy2vkwbpkOWQfXGPHH/view?usp=sharing

O afastamento de professora se diz respeito a professora Elisa Ferreira, que foi uma das últimas professoras contratadas pelo Instituto, porém ela fez um pedido para continuar na Alemanha. Isto foi encaminhado para a CPG, em que o prof Abramo concordou, na CG também não houve objeções, sob pretexto que é bom para o Instituto manter as relações internacionais fortalecidas, mas foi pedido a contratação de um professor temporário, para se responsabilizar pela carga didática que ela teria se estivesse aqui. O departamento de física matemática ficou responsável para procurar este professor temporário.

Foi requerido um gerente do e-disciplinas em cada unidade, já que o prof Ewout ficou muito sobrecarregado no ano passado. Aqui no IFUSP não há professores que queiram se responsabilizar, então foi proposto alocar um funcionário para essa função. O Prof Navarra tinha avisado informalmente que tinha um nome em mente para assumir a função, mas numa reunião do CTA foi informado o deslocamento deste funcionário para a comissão de pesquisa. Então foi encaminhado a escrita de um ofício ao diretor, de modo a oficializar a necessidade de uma pessoa responsável pelo e-disciplinas.

A CG irá pedir novamente por um monitor para assessorar professores no moodle, mas também foi falado de englobar mais tarefas. O monitor da CG é o que possui maior bolsa, de 900 reais. Foi falado que este cargo seria preenchido somente com indicações, para não ser divulgado amplamente, já que se espera uma pessoa mais responsável para assumir essa posição. Foi encaminhado que será feita uma entrevista com um indicado pelo antigo monitor.

Sobre as outras monitorias, foi aprovado 400 mil reais para esse fim neste ano, com a possibilidade desse valor ser revisto no meio do ano. Ano passado foi gasto menos de 500 mil, mas foi pontuado que a aprovação desse número menor seria para um controle maior de gastos com monitor, já que indica uma redução do valor recebido.

Sobre as turmas do IAG foi combinado de abrir uma turma separada para eles, já que foi recebido muitas críticas com o método de ensino da Funchal, que levou a muitas evasões na disciplina pelos alunos. Essa turma terá aula com o professor Gabriel Landi. Foi comentado que a reação da professora não foi ruim, já que os alunos do IAG seriam menos desinteressados por física, tendo feito um apelo de dar a oportunidade para os alunos da astronomia em específico de terem aulas com ela.

carta do presidente da CG do IAG: https://drive.google.com/file/d/1PFA0yC1sNIhTwNoTkvszlMm1CoHWq27O/view?usp=sharing

Com respeito a recepção dos bixos, foi comentada a dificuldade de contato com os ingressantes, já que a única forma de contato é por e-mail e muitos não veem o e-mail. Nenhuma solução foi indicada para isso, além da importância da conversa com as CoCs. Além disso foi falado sobre o kit de laboratório, que já que não haverá matrícula presencial tem uma dificuldade para serem entregues, mas aparentemente a diretoria irá arcar com os custos de envio.

Num último momento da reunião foi aprovado uma mudança de ementa em fiscomp, que ficou:

1. Introdução ao uso de softwares de manipulação simbólica (Mathematica ou similares).
2 Introdução à linguagem de programação (preferencialmente Python).
3. Entrada e saída, gráficos.
4. Introdução a técnicas básicas de cálculo numérico (integração, diferenciação e cálculo de raízes). Noções de erro numérico.
5. Aplicações a modelagem de sistemas físicos simples: movimento em meios viscosos, campos gravitacionais, problemas de muitos corpos. Oscilações.

A aprovação se deu rapidamente, confiando nos professores envolvidos, mas não pensando muito como isso afeta o ensino e quais os propósitos numa maneira mais ampla, ou pensando na grade como um todo. A intenção é deixá-la como obrigatória para alunos de primeiro semestre a partir do próximo ano. Essa mudança, de optativa para obrigatória, deve ser apresentada no meio do ano e tem que ser aprovada também na congregação.

Outra questão aprovada foi a disciplina optativa apresentada pelo professor Caetano, que já havia sido aprovado pela CoC-B.

 

Comentários: No repasse anterior foi comentado a necessidade de um registro das reuniões, em atas e gravações. Isso não foi implementado nas reuniões futuras. Elas continuam não sendo gravadas e eu me disponibilizei em fazer um teste, escrevendo uma ata, que foi enviada ao presidente da CG, junto com considerações de que isso deveria ser uma tarefa rotativa, jpa que a participação da pessoa que escreve é restrita. Não foi aprovada a iniciativa nem foi respondido essas questões no e-mail. Deixando com que a decisão tomada em reunião anterior fique apenas como um comentário e não uma ação que a CG passe a realizar.

Neste mesmo e-mail falei que uma solução para a comunicação com os ingressantes seja utilizar o whatsapp do IFUSP ou outros meios, conversando com a Malu Tippi da CCex, que atualmente cuida do setor de comunicação do IFUSP.

Outra questão levantada neste meu e-mail foi o relatório que foi exigido em reuniões anteriores da CoC-B e CG para a Funchal (sei disso pela minha participação anterior como RD da CoC-B), dada as reclamações recebidas, já que este não é um problema apenas dos alunos do IAG.

Estes dois itens que comentei e perguntei neste e-mail não me foram respondidas ou levadas em consideração. O que me fez entrar em contato com a RD da CoC- B atual para perguntar sobre o relatório da Funchal. A resposta do presidente da CoC-B foi que esse encaminhamento acabou se perdendo e não foi pedido esse tal relatório, comentando que a única solução viável no momento seria a participação dos alunos na avaliação de disciplinas, pois com isso avaliado poderiam tomar providências em casos assim de uma maneira mais fácil, com argumentos mais embasados.

Nisto, fica nítido a falta de organização dos encaminhamentos e tarefas delegadas às comissões de graduação.

No início da reunião foi dado um informe da CoC Bach sobre as ideias do projeto a ser submetido no edital ‘Novos currículos para novos tempos’, em que há um interesse de criar uma nova quase-disciplina de apoio a ingressantes com dificuldades em matemática e física, mas há uma dificuldade para se enquadrar nos critérios do edital.

Foi discutido algumas pequenas alterações na carga didática e colocaram como indicativo de fazer algum documento que explicite os critérios de escolha da distribuição da carga didática, mas foi dito que é didícil ter parâmetros fixos por ser algo muito circunstancial, dependendo se haverá faltas de professores (que é uma tendência cada vez maior), dependendo de prof aposentados para ministrar algumas disciplinas, ou se muitos profs pegarem carga dupla, se responsabilizando por um grupo maior de alunos.

Neste panorama de docentes estarem responsabilizados por um número maior de alunos, foi posto a “nebulosidade” da definição de carga dupla com aulas online.

Também foi colocado uma proposta de cronograma de pedido de monitores às disciplinas e as datas iniciais são de pedidos após a 2ª interação de matrícula até mais ou menos dia 27 de março.

Uma preocupação que foi apontada também é a regularização da hora-aula dos professores, para se ter algum tipo de controle para verificar se as horas-aulas estão de acordo com as estipuladas em lei, na LDB. Para que se atenda as horas, está sendo visto considerar AAC para docentes.
Sobre o evento proposto para se discutir a graduação, foi levantado de ser realizado em novembro, não mais no primeiro semestre, para que ainda exista a possibilidade dele ser feito de modo presencial.

Em comentários finais da reunião foi dito que o diretor tem interesse em reunir projetos de professores que desejam enviar algum kit experimento pelos correios aos alunos, para as disciplinas experimentais.

Também foi citado o edital de chips do santander, que parecem aguardar resposta para ver se o IF foi contemplado.

 

Tivemos reunião da CG hoje (13 nov. 2020) com as seguintes pautas:

1) GTLab e monitores de janeiro-março
Não foi discutido profundamente, talvez volte em outra reunião.

2) Carga didática do prof. Giancarlo Esposito
Professor Gian que dá lab na poli está enfrentando problemas pessoais e não consegue dar a disciplina e está sendo coberto pelo coordenador do curso (Leandro Gasques). Houve uma conversa mas ele ainda não conseguiu fazer o que deveria e também não desistiu oficialmente da disciplina. Navarra propôs afastar ele, de forma compulsória, como autoridade da CG e passar a carga para o Leandro, sendo que o professor Gian pagaria essa carga em um outro momento

3) Carga didática de 2021: prioridades e optativas
Desejam permitir horários provisórios de disciplinas, inclusive as optativas.
As Prioridades de disciplinas já estão quase definidas, dado que pretende-se estender a prioridade para dar a disciplina mais uma vez já que 2020 houve a pandemia 

4) Grupo de trabalho do Laboratorio Didático
Foi apresentado pelo diretor Manfredo, que os laboratórios didáticos possuem um custo elevado ao instituto devido à suas características, como a quantidade de equipamentos repetidos e preparação das salas a partir de temáticas. A partir da observação do Instituto de Física de São Carlos, pretende-se criar um Grupo de Trabalho (GT) para rediscutir os laboratórios didáticos, que além dessas questões apresentadas também necessitam de reformas estruturais e mudanças pedagógicas.
– A composição do GT propriamente dita não foi discutida nessa reunião mas espera-se que o Assunto seja apresentado no Evento da Graduação realizado pela CG em Junho, para qual o diretor Manfredo Tabacniks foi convidado a fazer uma apresentação.
Além disso, fomos informados de que será iniciada uma reforma nos telhados dos três andares acima dos laboratórios didáticos para solucionar a questão dos vazamentos de água, a direção está rezando para que a reforma acabe até janeiro para não comprometer as reposições de aula. É necessário ficarmos atentos.

5) Preparação do Evento da Graduação
Navarra (presidente da CG) reforçou a proposta da Feira dos cursos do ifusp, como se fosse uma discussão sobre o andamento delas, estrutura e etc. A atividade acontecerá em junho de 2021, e sua organização está sendo discutida na CG e nas CoCs, é importante que os estudantes tentem se inserir também na organização da atividade.

 

Aconteceu hoje (23 out. 2020) reunião da CG, na qual:

– Foi divulgado o calendário de 2021 e com isso também já vai começar a preparação da carga didática.

 Calendário da graduação 2021: (1º semestre: 12 abr. a 31 jul. e 2º semestre: 09 ago. a 21 dez.) 

– A Poli já está se preparando pra um primeiro semestre online em 2021. 

– O Navarra sugeriu fazer um evento (talvez ano que vem) onde o IF pararia por uma semana pra todo mundo discutir junto sobre a estrutura dos cursos (tipo uma semana da física).

– Foram apresentados dados socioeconômicos dos ingressantes do IF em 2020.

– Algumas pessoas não fizeram disciplinas no primeiro semestre, inclusive ingressantes, e eles não vão ser prejudicados ( no sentido de jubilamento) por conta das circunstâncias, porém tem uma galera que tá sem disciplinas nos últimos dois semestres e possivelmente serão indicados ao jubilamento*.

* São cerca de 20 estudantes nessa situação (pedimos os nomes para tentar entrar em contato), os nomes serão enviados para a reitoria para iniciar o processo – sendo que é possível pedir recurso, etc. O recurso passa novamente pela CG.

** Quem não passou em nada semestre passado ou trancou tudo não entra nesse critério.

Ocorreu em 09 out. 2020 Reunião da CG, onde discutiu-se, dentre outras coisas, como estratégias preliminares para realização de mudanças curriculares.
(Dado que a tentativa de mudanças nos cursos de física para a Poli não deram certo). Nesta pauta, foi apresentada a necessidade de maior organização e espaços mais amplos de discussão para coisas que afetam toda a comunidade, para que as mudanças não pareçam ser mobilização de pequenos grupos. Um das propostas apresentadas pelos RDs foi a criação de um calendário de discussões sobre os cursos de física, onde os departamentos, docentes e discentes teriam um prazo para apresentação de sínteses sobre algumas questões que poderiam eventualmente ser modificadas no curso.

Além disso, foi discutida uma questão com Física Quântica, a partir da demanda estudantil, que reportou à CG e CoC algumas dificuldades de comunicação com o professor e realização de atividades.
Após apresentação das queixas dos estudantes, leitura das considerações do docentes e discussão dos membros da comissão, foi acordado que a CG buscaria um monitor para auxiliar o professor e a turma.
Foi sugerido pelos discentes a abertura de uma nova turma, para ocorrer em paralelo a esta, porém, a ideia não pareceu viável pela comissão devido à falta de professores.

Ocorreu ontem, 17 jul. 2020, reunião da Comissão de Graduação (CG), na qual foram discutidas algumas questões relativas ao fechamento do primeiro semestre e projeções para o próximo, grande parte da reunião foi discutindo sobre uma forma de tornar mais claro os critérios para “atribuição de créditos didáticos para os docentes”, o tema continuará a ser discutido pelo Landi (presidente Coc-Bac), Cristina Leite (presidente Coc-Lic) e Sandra (funcionária da CG).
Também foi feito um informe pelo docente Nemitala Added sobre o Grupo de Trabalho (GT) criado para discutir os laboratórios. Estão discutindo formas de permitir a atuação em laboratórios de pesquisa. sobre os laboratórios para uso acadêmico, é altamente inviável devido ao COVID-19. Com o grupo pensando em tratar como excessão apenas estudantes que precisam das disciplinas para se formar neste semeste.
A Comissão de Graduação está procurando viabilizar um monitor para a CG, este seria encarregado de ajudar na organização de diretrizes e suporte aos docentes sobre usos das plataformas digitais e ajuda sobre como elaborar e avaliar no contexto do Ensino Remoto. O docente Ewout ter Haar, que pesquisa o uso de tecnologias no ensino de física, está sendo consultado sobre a elaboração de diretrizes (principalmente para avaliação) pela CG e pelo Cefisma.
Será enviado para a comunidade formulário para levantamento de notebooks e computadores que podem ser emprestados ou doados durante o período da pandemia a estudantes que não possuem acesso. Os critérios para este empréstimo e/ou doação não foram totalmente estabelecidos, provavelmente serão usadas informações socioeconômicas fornecidas pela Reitoria, junto com informações de formulários anteriores do IFUSP.
Os representantes discentes (Carlos Chaves e Chisthian Talacimon) vão elaborar comunicado para a comunidade IFUSPiana sobre as atividades da CG no primeiro semestre e os indicativos para os docentes no segundo, o comunicado passará por análise da CG e depois enviado a todes. E será pautado especialmente pelas questões abordadas pelos estudantes na reunião com a CG.
Texto: RDs na CG – Carlos e Cristhian
A carga didática foi fechada hoje, está sendo realizada apenas a verificação de erros e ajustes na formatação. Dentro de algumas horas será enviada via-email.
– Texto de Carlos Chaves, representante discente na Comissão de Graduação.
[Carga didática] [Informe]
Boa note.
Foi realizada hoje, reunião da CG para tratar da Carga Didática, a carga está praticamente finalizada, porém, alguns ajustes foram realizados, sendo necessário o envio aos docentes para saber se poderão ministrar as disciplinas para as quais foram alocados, combinar com as equipes, etc.
Assim, a carga didática ainda vai demorar alguns dias para ser disponibilizada em sua versão final. As mensagens para os professores seriam enviadas hoje, e de toda a carga acho que tinham cerca de 6 questões para serem confirmadas então a versão final deve ficar pronta dentro de mais alguns dias.
Texto de
Carlos Chaves – Kause
, representante discente da CG

CoC - Bacharelado

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Giovana Santos Oliveira
Camila Naomi Koshikumo

Pautas

  • Oferecimento de disciplinas optativas

  • Avaliação de disciplinas

  • Envolvimento do IF em projetos didáticos com a Poli

Oferecimento de disciplinas optativas

Os professores membros da CoC-B contactaram os docentes dos respectivos departamentos com o intuito de verificar se eles gostariam de se manter como responsáveis das disciplinas. Inesperadamente, poucos abriram mão das respon- sabilidades das matérias, inclusive as que nunca foram oferecidas. Sendo assim, com exceção de Física das Radiações II, que será substituída por uma equiva- lente de Física Médica, todas as disciplinas serão reformuladas, caso necessário, e oferecidas de acordo com a tabela. O problema que temos se refere ao enco- lhimento do corpo docente, pois, apesar do grande leque de optativas, a chance de elas serem oferecidas diminui bruscamente, já que as disciplinas obrigatórias são prioridade. Cerca de 30 docentes estão para se aposentar, o que representa uma grande perda na carga didática e a perspectiva é preocupante.

O Landi nos disse que, no DFMT, muitos docentes se manifestaram positiva- mente em manter as optativas, mas houve reclamações com relação a matérias que não estão na tabela. Uma solicitação, já antiga, é a de oferecer a disciplina da graduação de Física do Estado Sólido no primeiro semestre, sendo no noturno em anos ímpares e no diurno nos pares. Esta é bastante importante no departamento, além de haver interesse por parte dos alunos, e casa com a que é oferecida na pós. Apesar da falta de docentes, ainda é melhor manter e atualizar a tabela por questões organizacionais, pois ela representa o ideal e fica a cargo da CG decidir o que realmente vai ser oferecido.

O Alexandre disse que na FAP houve poucas solicitações de alterações, apenas pediram para retirar os professores aposentados da lista de docentes res- ponsáveis e a Márcia Fantini demonstrou interesse em oferecer uma nova opta- tiva experimental para o segundo semestre de 2022.

O Marchetti sugeriu fazer um anúncio solicitando optativas para um certo período e chamou a atençãode que nem todos os docentes têm informações das atribuições da CoC-Bach.

O Edivaldo disse que o professor Marcelo Martinelli sugeriu trocar a disciplina dele pela de Ótica Não-Linear no primeiro semestre e Ótica Quˆantica no

segundo, e abrir para alunos da graduacão.

O Higa lembrou que é preciso tomar cuidado com matérias da pós que podem ser oferecidas para a graduaçãopara evitar dupla contagem no oferecimento de disciplinas de determinada linha de pesquisa.

Avaliação de disciplinas

A análise das avaliações de disciplinas será feita entre esta e a próxima reunião. Os casos mais complicados, de Física Quântica e Física IV, já haviam sido enviados para o Higa e o Navarra no semestre passado. O primeiro parece ter sido resolvido, mas o segundo ainda está em andamento e a Suzana Salem já está ajudando.

No dia 10/09 teve a reunião da CG e um dos pontos abordados foi o da ava- liação das disciplinas. Aparentemente, o diretor está colocando pressão nestas avaliações, pois ela vai entrar no plano de metas, e foi proposto na CG que elas sirvam de instrumento para alocação de carga didática. Note-se que há uma diferença entre o uso das avaliações para a distribuição de carga didática, uma vez que isso é algo interno ao instituto, e o uso para avaliar o docente, que é algo que vai para a reitoria.

O Landi sugeriu que, para que o diretor possa utilizar esses questionários para avaliar os docentes, deve-se institucionalizá-los, já que eles estão a cargo apenas do Higa e do monitor atualmente.

Envolvimento do IF em projetos didáticos com a Poli

Este é um tópico mais informativo. No final do semestre passado, a PRG lançou um edital com recurso alto sobre novos laboratórios de ensino. O IFUSP submeteu dois projetos, um para reformas de laboratórios já existentes, que já está em andamento, e outro para criar novos laboratórios de física moderna, focados em radiações, e um laboratório com realidade virtual. Os dois projetos foram contemplados, mas não com 100 % da verba.

Os laboratórios didáticos já estão sendo renovados, a reforma da infraestrutura mais pesada já está acontecendo e está prevista para acabar em outubro, se preparando para que ano que vem as coisas voltem a ser presenciais. A parte de compra de equipamentos tem boa chance de ficar pronta para março.

O edital também visava incentivar parcerias entre institutos, de forma que o primeiro projeto do IFUSP foi feito em conjunto com a Escola Politécnica. A Poli também submeteu um projeto em parceria com o IFUSP, mas sobre laboratórios de ensino com metodologia ativa. Este também foi em parceria com o IME e recebeu uma maior parte do orçamento, de forma que ficou claro que a PRG aprova e incentiva metodologias ativas, como o Scale-Up. A Poli demonstrou interesse em redesenhar o curso de engenharia no período do biênio, começando com o curso de Engenharia Química, que possui apenas 60 ingressantes por ano, e após esse período de teste, se der certo, pode ser que o IFUSP

receba recursos para adquirir equipamentos visando o aprendizado ativo.

Esta reforma que a Poli planeja fazer é baseada nos cursos de engenharia da INSPER, que são cursos recentes, dos anos 90 para cá, e que se baseiam em métodos de competências, ou seja, o que se deseja que os alunos sejam capaz de fazer quando concluir o curso, não se baseando em ementas, metodologia arcaica que continua sendo aplicado tanto na Poli quanto no IFUSP. Por causa disso a INSPER oferece treinamento para os professores que querem aprender esta metodologia e que já está sendo feito pelos professores da Poli e professores selecionados do IFUSP como o professor Higa.

Após esse discurso, o Alexandre pontuou que isso precisa ser discutido num âmbito maior e que deve-se criar uma comissão paralela para ter ideias concretas de modernização.

O Higa concorda e disse que devemos observar como a mudança vai ser na POLI para ver se é algo aplicável ao nosso curso, além de que esse trabalho de modificá-lo é de longo prazo e que apenas devemos começar a pensar e discutir agora.

Informe Reunião da CoC-Bach 27/08

Pauta

Oferecimento de disciplinas optativas

AACs

Avaliações de disciplinas

Oferecimento de disciplinas optativas

A tabela de oferecimento de disciplinas optativas precisa ser atualizada. Algumas optativas ser˜ao extintas, como Práticas de Atividades Físicas pois agora estas práticas irão contar como AACs, e outras que não estão sendo oferecidas há muito tempo, como Introdução à  Ótica Moderna, Aceleradores de ´ Partículas: fundamentos e aplicações e Física Nuclear de Altas Energias. Antes de extinguí-las, o professor Renato Higa irá conversar com os docentes responsáveis por estas disciplinas a fim de saber se eles querem ou n˜ao continuar oferecendo elas. Quanto a todas as outras optativas, ser´a perguntado aos docentes responsáveis por elas se eles concordam com a tabela de oferecimento recente ou se desejam alterar.

AACs

Foi discutido sobre a carta escrita pelo representante discente Martin Zurita que fala a respeito das AACs e a proposta dos alunos pelo aperfeiçooamento das mesmas. A CoC-Bach debateu sobre aquelas que se dirigem `a própria comissão, que diziam a respeito de aumentar as horas contabilizadas para o trabalho fora da USP (de 10 horas por semestre para 15 horas) e contabilizar as práticas esportivas fora da USP. Concordou-se com a primeira, mas houve uma certa resistência com relação a esta última, devido a dificuldade de se comprovar que ela de fato está ocorrendo, diferente das pr´aticas feitas no CEPEUSP. Desta forma, foi sugerido, a priori, que elas poderiam ser contabilizadas, mas com 5 horas por semestre.

A respeito das AACs de responsabilidade de outras comissões, os membros da CoC-B apenas deram suas opini˜oes. O aumento da carga hor´aria das ICs e cursos de extensão foram muito bem vistos, entretanto houve receio com respeito da atribui¸c˜ao de AAC para membros da Atlética e CEFISMA e sugeriu-se que apenas os presidentes destas entidades recebessem os créditos de AAC. Além disso, concordou-se com a inclusão do teatro, coral e bateria do IFUSP como AAC, mas houve resistência com relação `a inclusão de museus, teatros e cinema 1 como AAC, visto que a interpretação do Artigo 5º citado seria a de uma participação ativa, apesar de estas atividades contribuírem para a formação dos estudantes.

Ressaltamos que isso foi apenas uma discussão inicial, nada totalmente oficial, mas o professor Renato Higa ir´a passar as propostas restantes para a Comissão de Pesquisa e a Comissão de Cultura e Extensão.

Trabalho de Conclusão de Curso

Como discutido na última reunião, os TCCs (Trabalhos de Conclusão de Curso) são uma imposição do MEC, de forma que eles devem ser implementados em um futuro próximo. Houve um debate na FAP para que o TCC pudesse ser inicialmente contabilizado como AAC, mas a CoC-B concluiu que seria melhor que houvesse uma disciplina atribuída ao TCC, já que ele será obrigatório e não uma atividade complementar.

Avaliações de disciplinas

Os docentes de outras comissões desejam receber maiores informações quanto as Avaliações de disciplinas feita pelos alunos, então foi falado sobre a necessidade de reavaliar as perguntas do questionário. Além disso, também foi sugerido que estas avaliações contassem como critério de desempate na hora da distribuição da carga didática e que elas ajudassem a selecionar os melhores professores para lecionarem as físicas básicas. Sera feita a organização dos dados das avaliações do primeiro semestre de 2021. 

Atualização do manual para a Feira USP e as Profissões

O manual de 2019 será atualizado e uma nova versão deste foi confeccionada, portanto foi solicitado que as COCs BACH e LIC enviassem sugestões e correções. Fizemos algumas alterações, das quais as principais foram:

– No item “Para os apaixonados por algoritmos, sistemas e manutenção e criação tecnológicas: Tecnologia da informação”, o texto quase não abordou a parte de algoritmos, então sugerimos o seguinte:
“O setor de TI engloba um grande número de empresas e indústrias, com variados níveis de sofisticação. O físico pode atuar em desenvolvimento de softwares, por exemplo, na indústria de games, automações e alta performance computacional, em setores de telecomunicações, como por exemplo desenvolvendo modelos de conectividade, óptica e fotônica, logística, calibração de sensores e sistemas, na gestão de serviços de TI, ou atividades correlatas.”

– Na seção “O Curso de Física no IFUSP”, incluímos o Bacharelado de Física Médica: “(…) O IFUSP oferece dois três cursos de graduação: o bacharelado em Física e a licenciatura em Física, ministrados nos períodos diurno e noturno, e o bacharelado em Física Médica no período noturno. (…) Oferecemos, anualmente, 270 vagas para ingressantes, sendo:

100 60 vagas para o Bacharelado diurno

60 100 vagas para o Bacharelado noturno (dentre as quais, 25 para Física Médica)

– 50 vagas para Licenciatura diurno

– 60 vagas para Licenciatura noturno.”

Processo de revalidação do nosso bacharelado pelo Conselho Estadual de Educação

O tom das reuniões foi bastante cordial, sem perguntas incisivas e fortes, no geral; além disso houve uma impressão bastante positiva e elogios aos servidores. Entretanto, fizeram questões mais incisivas a respeito do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), pois o MEC recomenda fortemente que seja cobrada a realização de um TCC. Sendo assim, devemos começar a pensar e discutir a respeito, pois seremos obrigados a implementá-lo em breve.

Atualização do Projeto Político Pedagógico (PPP)

A mudança do PPP foi enviada para a aprovação nos departamentos, de forma que apenas as AACs serão incorporadas. Por enquanto, apenas a FAP aprovou, então devemos esperar o feedback dos outros departamentos.

Comunicações

  • Disciplinas Práticas de Atividades Física I e II (4300163 e 4300164), que
    caracterizam AACs, serão extintas;
  • A próxima reunião da CoC-Bach ocorrerá no dia 08/07.


Repercussões da proposta de reestruturação do bacharelado até o momento

Reunião do Departamento de Física dos Materiais e Mecânica


A proposta teve uma boa recepção e a votação deverá ser feita na próxima reunião deles, então vamos aguardar.


Reunião do Departamento de Física Aplicada

Os integrantes do DFAP abraçaram e viram a importância do projeto para a criação da vertente computacional no IFUSP. Uma preocupação que tiveram foi com respeito às aulas aos sábados, no quesito de disponibilidade de professores darem aula neste dia da semana. Portanto, uma sugestão para resolver isso seria o revezamento com Física I; em um semestre uma das aulas de Física I (provavelmente uma aula de exercícios) seria ministrada no sábado e a aula de Física Computacional seria em outro dia da semana, e no outro semestre ocorreria o inverso. Entretanto, isso não é o ideal e só seria adotada caso não houvesse outra opção.

Houve um questionamento a respeito da sobreposição de MAC0115 com Introdução à Física Computacional, e uma mudança de abordagem ou mesmo a extinção de MAC0115 foi proposta. Porém, a extinção da disciplina é algo muito abrupto e enfraquece a vertente de física computacional. É importante que tenhamos uma disciplina de computação com a visão de um cientista da computação, da mesma forma que os outros institutos têm aulas de física com físicos. Além disso, houve uma reformulação de MAC0115 em 2020, portanto pode ser que haja resistência por parte do IME em modificar a ementa do curso. Como solução, sugeriram enviar um e-mail para o professor do IME que ministrará a disciplina, avisando-o sobre o conteúdo já visto , de forma que ele possa passar sobre certos assuntos com um teor de revisão, evitando redundâncias.

Sobre as AACs, houve um feedback positivo, mas os três créditos obrigatórios foram criticados, já que os alunos do noturno costumam trabalhar e talvez seja mais difícil eles conseguirem cumprir esta quantidade de créditos. O único argumento que justificaria manter os três créditos seria de que, a partir do 5o semestre, eles possuem uma carga didática obrigatória menor do que a do diurno, porém ainda assim não é muito razoável. Levantou-se a possibilidade de o noturno possuir dois créditos obrigatórios e o diurno três, mas, como ambos recebem o mesmo diploma, devem cursar o mesmo número de créditos. No conselho do DFAP, foi sugerido que os professores se mobilizassem para pensar em AACs para o noturno, como visita de laboratórios, estudos dirigidos e etc.

A reforma foi aprovada no DFAP, com a ressalva da modificação da disciplina Fundamentos da Química para Física (QFL0606) de experimental para teórica, que seria feita por causa da ementa. Outra opção seria manter como experimental e fazer pressão para haver aulas de laboratório, mas antes vamos buscar o motivo pelo qual não há e, dependendo do caso, faremos pressão para que haja aulas práticas; até porque, apesar de a teoria ser importante para algumas áreas de pesquisa do IFUSP, deve haver matérias no instituto que
suprem a parte teórica.


Reunião com os RDs


Aparentemente, a maior parte das reclamações foi por falta de comunicação e as dúvidas que os alunos tinham foram sanadas. Aguardaremos a assembleia com os estudantes para sabermos o posicionamento deles.


Outros tópicos a respeito da reformulação

A respeito do horário da disciplina de Introdução à Física Computacional I no sábado, a aula às 08h está fora de cogitação, será às 10h ou até mais tarde.
Podemos não estar “atrasados” em comparação com o curso de Física Computacional de São Carlos no quesito de disciplinas obrigatórias computacionais, mas ainda é importante que o aluno tenha uma boa base de física computacional, já que a maioria das linhas de pesquisa do IFUSP demandam conhecimento nessa área.


Optativas


Existem três disciplinas que não foram oferecidas de 2016 a 2021/1 e talvez seja o caso de conversar com os docentes responsáveis para excluir estas matérias, são elas:

  • 4300327 – Introdução à Ótica Moderna;
  • 4302360 – Aceleradores de Partículas: fundamentos e aplicações;
  • 4300412 – Física Nuclear de Altas Energias.

Precisamos atualizar a tabela de oferecimento de disciplinas optativas, já que Introdução à Física do Estado Sólido (4300402) é oferecida todo ano, sendo alternada com a matéria da pós. Além disso, por causa do curso de Física Médica, pode ser que as disciplinas relacionadas à física médica sejam excluídas da tabela.
Demos apenas um “pontapé inicial” nesse tópico, pois ainda falta a comunicação com os docentes, e deixamos para discuti-lo detalhadamente na próxima reunião.

Comunicações 

– Ontem (19/05) houve uma reunião da CG onde falaram sobre carga didática, horários e etc. 

– Os projetos para a Pró-Reitoria de Graduação são três, dos quais dois deles passaram pela CoC-Bach e uma, sobre ensino, foi formulada pelo pessoal da Lic. Relembrando os projetos da CoC-Bach, o primeiro é relativo às disciplinas computacionais e o segundo é a reforma dos laboratórios. 

– O professor Renato Higa, atual presidente da CoC-Bach, estará de férias no período entre Junho e Julho, e quem assumirá o cargo durante sua ausência será o professor Alexandre Correia. 

AACs 

As AACs da graduação discutidas anteriormente foram aprovadas pela CoC-Bach sem alteração, de forma que teremos: 

Atividade/Descrição 

Carga horária Comprovante exigido

I – atividades esportivas 

10 h por semestre Comprovante CEPEUSP (Júpiter)

II – premiações acadêmicas na graduação 

30 h por premiação Registro da premiação

IV – monitoria em cursos de graduação 

30 h por semestre Certificado da CG

VIII – prática de atividades profissionais extramuros

10 h por semestre Declaração do responsável

X – atividades acadêmicas na Agência USP de inovação

30 h por semestre Certificado da AUSPIN

Tabela 1: Atividades já aprovadas pela CoC-Bach, com as respectivas cargas horárias e comprovantes exigidos. É importante salientar que outras atividades inclusas na RESOLUÇÃO CoG, CoCEx e CoPq Nº 7788, DE 26 DE AGOSTO DE 2019 e que não foram citadas na tabela acima também poderão ser solicitadas para contabilizar como AAC, mas estas passarão por uma avaliação distinta.

Além disso, ficou determinado que será obrigatório obter três créditos de AACs. 

A respeito da AAC “premiações acadêmicas na graduação”, como hoje em dia não existe um prêmio deste tipo no IFUSP, pensa-se na criação de um. A ideia seria aproveitar o evento da Semana da Graduação para realizar as premiações, porém ainda não há nada decidido a respeito dos critérios para tal. Foi sugerido que o CEFISMA+RDs contribuísse com ideias para os critérios de premiação. 

Reformulação do PPP 

É necessário que as AACs constem no PPP, pois serão obrigatórias a partir de 2022, e também será necessário incluir as reformulações computacionais. O prazo para a proposta de reformulação chegar na Pró-Reitoria é agosto. 

Introdução à Física Computacional I e II (Fiscomp I e II) 

O projeto enviado e aprovado para o Edital PRG 01/2020-2021 visa incluir as disciplinas de Fiscomp I e II como obrigatórias, do primeiro e do segundo semestre respectivamente, a partir do próximo ano. Com relação aos horários, ela seria dada no período da tarde para a turma do diurno, e de sábado, já que é um dia letivo segundo o regimento da USP, para a do noturno. A princípio, para o noturno, pensou-se em uma aula no estilo híbrido, com plantões de monitoria no horário de aula. Porém, também há a opção de haver uma aula expositiva comum, com gravações para quem não puder comparecer. 

Entende-se que não é ideal haver aula de sábado, mas, aparentemente, é a melhor opção. Pois, se defasar Fiscomp I para o segundo semestre, Fiscomp II seria dada no terceiro semestre, onde o estudante também cursaria Física III, que é uma disciplina pesada. Se atrasar também Fiscomp II para o outro semestre, não cumpre o propósito de adicionar uma disciplina computacional para fazer com que o aluno se familiarize com matérias de computação logo cedo. Além disso, Fiscomp I e II, como foi proposto, demandaria dois professores, mas, caso houvesse a defasagem, necessitaria-se de 4 professores. Outro fator a ser levado em conta é que deseja-se acrescentar uma nova vertente no curso do Bacharelado em Física, a computacional, sendo assim Fiscomp I seria o terceiro membro das disciplinas Física I e Física Experimental I.

Como é desejo que essas disciplinas estejam em alinhamento, para que uma ajude a outra, não seria plausível adiar Fiscomp I. 

Haverá mudanças quanto ao período ideal das disciplinas Introdução à Computação para Ciências Exatas e Tecnologia (do segundo para o quarto semestre para o diurno), Cálculo Numérico com Aplicações em Física (do sexto para o quinto semestre) e Métodos Computacionais em Física (do sétimo para o sexto). Além disso, também ocorrerão modificações na ementa de Fiscomp I e II e de Cálculo Numérico. 

Desta forma, a quantidade de créditos de obrigatórias para os cursos do bacharelado serão: 

Semestre 

Créditos – 

Diurno

Créditos – 

Justificativa da Modificação

Noturno 

1

20 22

20 22 Fiscomp I

20 18 

16 18 Fiscomp II e MAC0115 foi adiada

20 

20 Sem modificação

18 22 

18 MAC0115 para o diurno

12 16

12 16 Cálculo numérico adiantado



Tabela 2: Quantidade de créditos obrigatórios nos respectivos semestres, juntamente com a justificativa da modificação. 

Propostas de Horários de Disciplinas para 2021/2 

Não se tem intenção de modificar os horários das disciplinas obrigatórias, e as optativas ainda serão definidas. 

Física I e II (Meteorologia e Geofísica) 

Devido à diferença de desempenho nas disciplinas de Física I e II entre os alunos da Meteorologia e da Geofísica com os da Física e da Astronomia, possivelmente por causa da diferença de interesse, ficou decidido que as turmas de Física I e II serão separadas; uma com os alunos da Física e outra com alunos da Geofísica e da Meteorologia (cabe ao IAG decidir em qual turma os alunos da Astronomia serão alocados).

1. Relatório de Física I e II

O curso, da maneira que foi lecionado, foi pensado em ser um curso de física para alunos da Física. Não foi preparado para ter a quantidade de estudantes que teve e nem para ser no formato EAD. Além disso, houve uma grande evasão, tanto por parte de alunos do IAG quanto da Física, por motivos diversos. Sobre os estudantes do IAG, notou-se que os da Geofísica e da Meteorologia possuem perfis muito diferentes com relação aos da Astronomia e da Física, e que eles tinham muita dificuldade de acompanhar a disciplina, mesmo com bastante auxílio dos monitores. Foram dadas duas oportunidades de recuperação para os alunos de Física II (no final de 2020 e em março de 2021), porém foram poucos os que conseguiram recuperar. Apesar de tudo, houve um alto aprendizado por parte de um número apreciável de alunos e a professora Renata Funchal acredita que o curso teve uma boa performance, dada a situação.

A respeito dos alunos da Geofísica e Meteorologia, sempre notou-se uma diferença de perfil com relação aos da Astronomia e da Física, porém esta foi a primeira vez que foi recebido uma carta da CG do IAG solicitando que houvesse uma turma separada para os estudantes do IAG com outro professor. Como não é muito viável a criação de uma nova turma permanente para os alunos do IAG, pensou-se em uni-los com os estudantes do IO. Não haveria problemas com esta solução no EAD, porém as aulas presenciais costumavam ser no próprio IO.

2. Avaliação de Disciplinas

As disciplinas que chamaram atenção no último semestre foram: Física Quântica com o Ribas, Cálculo IV com o Pádua e Física III com o Higa. A primeira foi bastante criticada por não se adaptar bem ao modelo EAD; sobre a segunda, foi dito que o professor não deu aula (os alunos deveriam de estudar sozinhos), não interagiu com os alunos, apenas enviou listas e não havia monitor; e sobre a última, criticaram a ausência de correção e feedback das atividades avaliativas.

É necessário pensar se há necessidade de incluir outras questões no formulário e também em alguma forma de fazer com que mais alunos respondam o questionário. Foi apontado que o diretor sugeriu que as avaliações das disciplinas deveriam de estar atreladas à matrícula dos alunos, porém não é possível que isto seja aplicado no momento e também há problemas com esta ideia (por exemplo, obrigar os estudantes a responder o formulário pode fazer com que muitos respondam de qualquer jeito, dificultando sua análise posteriormente).

3. AACs

Já está encaminhada a ideia final sobre as AACs da graduação e as atividades que estão sendo pensadas são: atividades esportivas, premiações na graduação, monitoria em cursos de graduação, práticas de atividades profissionais extramuros, atividades acadêmicas na Agência USP de Inovação e monitorias no “Show da Física” (está sendo discutido sobre esta última ficar como AAC da CCE); a carga horária de todas serão de 30h, com exceção de atividades esportivas, que será de 10h. Sobre premiações na graduação, parece que atualmente não existem prêmios na graduação, mas pensa-se em criar um prêmio de melhor aluno.

4. Comunicados

  • O intuito do Programa PART é contratar pós-docs para lecionarem por 1 ano e o prazo de inscrição é até dia 25/04 e a CoC-Bach precisa dar “ok” nas inscrições.
  • Costuma-se enviar dados para o Guia da Faculdade do ESTADÃO, porém não há transparência na análise deles, então há uma tendência de haver um boicote geral da USP; aguarda-se um posicionamento da Pró-Reitoria.
  • É necessário deixar os docentes cientes do Cronograma do SISU e que eles receberão alunos novos até dia 26 de maio.

1. AACs

As AACs serão obrigatórias, devendo perfazer até 10% da carga horária do curso (inicialmente, pensou-se em 3 créditos, que correspondem a 90h no semestre), e os seus cadastros serão feitos no menu do Júpiter. A disciplina optativa “Atividades de Cultura e Extensão” será abolida. Apesar de não possuir prazo, a RESOLUÇÃO CoG, CoCEx e CoPq Nº7788, DE 26 DE AGOSTO DE 2019 deve ser instituída o mais rápido possível. Note que os créditos tratados na Resolução serão obrigatórios para os ingressantes a partir da data em que estiver em vigor a alteração do Projeto Pedagógico. O intuito das AACs é incluir como crédito aula, no histórico, as atividades que já são realizadas pelos estudantes. As atividades a serem incluídas como AACs ainda estão sendo discutidas.

2. Edital Santander

Foi enviado um projeto com enfase no Laboratório Didático de Física Quântica, que abrange as disciplinas Física Experimental V e VI do Bacharelado, Laboratório de Física Moderna da Licenciatura e Física Experimental C oferecida para alunos da Poli. Como a verba disponibilizada pelo Edital não é suficiente para fazer uma reforma completa nos laboratórios didáticos o foco do projeto é automatizar os experimentos para serem feitos de forma remota. Estamos no aguardo para a aprovação da Pró-Reitoria.

3. Projeto Político Pedagógico

Precisamos incluir a AAC e a reforma da vertente computacional, referente ao projeto aceito no Edital Novos Currículos, no Projeto Político Pedagógico. A respeito do projeto aprovado, será incluída a disciplina Introdução à Física Computacional I como obrigatória no primeiro semestre.

4. Próxima reunião

Discutiremos sobre Física I e II, e convidamos a Profª Renata Funchal para nos dar um feedback sobre como está sendo os cursos que ela está responsável, além disso, um relatório sucinto sobre o assunto também foi solicitado

Primeiramente foi falado novamente sobre o Edital Novos Currículos para ser finalizado o assunto. O projeto apresentado pelos professores teve foco em ferramentas computacionais, viabilizando uma antecipação do contato dos alunos com estas atividades. A proposta não foi contemplada pelo edital mas ainda têm-se o objetivo de reformatar a disciplina optativa Introdução à Física Computacional, para que os alunos do primeiro ano possam fazê-la já no primeiro semestre, e também reformatar obrigatórias como Cálculo Numérico, para que contemplem coisas mais aplicadas à física. Isto será feito para que haja uma 4º vertente da física no curso do Bacharelado, ou seja, Física Teórica, Experimental, Matemática, e agora, Computacional.

A segunda pauta foi a discussão do Edital Santander Universidades: e-Grad, o qual contempla com investimento de R$ 40.000,00 projetos inovadores para melhorias do ensino de graduação, este ano para a área de exatas. O objetivo dos docentes para o investimento deste edital é reformar os laboratórios didáticos. Foi feita uma proposta pelo professor Antonio D. Santos, a qual visa modernizar o laboratório didático das disciplinas de Física Experimental V e VI, que também acarretará em melhorias para Experimental C dos cursos da Poli e Física Moderna da Licenciatura. O projeto será escrito em cima desta proposta, sendo formado um grupo de trabalho de pessoas interessadas em melhorar o Laboratório didático. Mesmo que o projeto não seja aceito para ser beneficiado pelo Edital Santander, ele será apresentado à diretoria.

A pauta seguinte foi sobre uma nova disciplina optativa Processos Criativos, proposta do professor Caetano Miranda. Uma matéria que visa estimular os alunos através das artes, inovação de difusão. Discutiu-se sobre a possibilidade de haver uma nova optativa na programação do Bacharelado, pois assim seria preciso alterar os calendários, mas por fim ela foi aceita pela CoC-Bach e será encaminhada para a CG aprovar.

Por fim foi iniciada discussão sobre as AAC’s – Atividade Acadêmica Complementar. O professor Higa fez parte de treinamento da pró-reitoria para incorporação dessas atividades na graduação, fazendo valer créditos extras como ICs, monitorias e participação de eventos científicos. Não há prazo para a aplicação por enquanto. Será dado continuidade ao assunto na próxima reunião.

O objetivo do edital é estimular a modernização. Note que ele não visa a substituição das atividades presenciais, como dito em diversos trechos do edital. A respeito do ensino híbrido, seria errôneo interpretá-lo como uma aula online, sendo constituídas apenas de videoaulas. As aulas gravadas seriam recursos adicionais!

A respeito das categorias, não temos condições de propor um projeto para a categoria A, portanto ela está totalmente fora de questão. O foco da discussão seria a categoria B, porém não há muitas propostas até o momento. Uma proposta interessante seria a CoC-Bach promover monitorias de matemática e física básica, utilizando softwares e contratando monitores; seria uma espécie de minicurso de reforço. Foi apontado que monitorias na graduação não costumam ser muito eficientes, então seria interessante que fosse uma disciplina complementar.

Desta forma, a proposta final foi a formação de uma nova disciplina com reforço de matemática básica. Seria uma disciplina online, no Moodle, onde o aluno dita seu ritmo (talvez para alunos ingressantes não seja o ideal). Os estudantes fariam diversos exercícios de matem´atica e programação (Mathematica e Python), pois é importante ”botar a mão na massa”, e, por exemplo, plotar o gráfico de uma função para estudar o seu limite ajuda bastante na visualização do que está sendo aprendido teoricamente. Haveria um monitor supervisionado por um docente encarregado da disciplina. Perceba que esta proposta realmente pode não contemplar o requisito de diminuição de carga cognitiva no momento, mas pode-se argumentar que isso ocorrerá no futuro.

Outras ideias também foram discutidas. Foi dito que o ideal seria uma readequação de uma disciplina e não criar outra, porém não houve tempo para conversar com professores que precisaram reformular seus cursos durante o EaD. Outra questão levantada foi de que as disciplinas de Lab são de aprendizagem ativa e seria uma boa ideia utilizar a verba para renovar os instrumentos, porém não atende a redução da carga cognitiva. Softwares de simulação podem ser utilizados em disciplinas mais avançadas, como Lab V, mas precisa-se conversar com o coordenador da disciplina.

Uma dúvida que surgiu ao ler-se o tópico V-b) da elegibilidade foi ”o que seria a redução de carga cognitiva?” E a resposta dada foi ”algo como o Scale-Up fazia, diminuindo a formalização e colocando mais aplicação.” Um fator levantado foi de redução de redundância de disciplinas para diminuir a carga. Porém, também foi citado o caso da Alemanha, quando mudaram a forma de ensino de Diplom para Bachelor, diminuindo a carga horária, com o discurso de diminuir redundâncias, houve uma diminuição na ”qualidade” dos alunos que chegavam no doutorado.

A respeito de questões burocráticas, talvez seja melhor propor como monitoria e não uma disciplina, apenas pela burocracia de criar-se uma nova disciplina, mas a monitoria seria como uma disciplina. Também há a possibilidade de ser criada como disciplina do CEFISMA, como é comum em universidades de excelência pelo mundo.

Por fim, também foi discutido sobre a volta das aulas presenciais. Neste primeiro semestre, todas as disciplinas estão sendo planejadas de forma a serem online. Disciplinas experimentais teriam prioridade para ser presencial, mas não há condições para tal. A respeito do segundo semestre, ainda não há perspectivas para aulas presenciais

As matérias optativas que vão ser oferecidas foram definidas, seguindo a tabela de optativas e tendo várias opções de optativas para o próximo semestre. Houve uma proposta de mudança para grupos e tensores ser oferecido no noturno, pois das últimas duas vezes só foi oferecido no diurno, o que foi acatado. A únicas matérias que foram citadas no último post que fiz para pedir sugestões que não vão ser oferecidas é física do spin e relatividade. Sobre relatividade, foi deixado um indicativo de estudar a possibilidade para que seja oferecido com maior frequência.

Também foi discutida a avaliação das disciplinas, se quer realizar um questionário para enviar aos professores, para informar os comentários dos alunos contidos na avaliação e dar a oportunidade de resposta do docente. Também é uma preocupação que o formulário de avaliação tenha mais respostas e levei a sugestão que haja uma lista com o nome dos professores para selecionar, para facilitar o preenchimento, o que ficou a ser repassado ao monitor, parece ser uma implementação um pouco complicada de fazer no moodle. 

A última pauta foi sobre um evento que está previsto para primeira semana de junho, para realizar um evento da graduação em física, para discutir o ensino na graduação e outras atividades. Seria muito bom a participação dos estudantes nesse planejamento! 

A coc- bach teve uma reunião na quinta feira dia 22/10 em que os seguintes assuntos foram pautados:

– questões referentes às disciplinas de física quântica com o prof Ribas e física I no IO com o prof Zé Roberto.

– foi aprovado o horário das disciplinas obrigatórias, que se mantém as mesmas do 1º semestre desse ano, com indicativo de conversar sobre o horário das optaivas na róxima reunião. 

– conversou-se a respeito do acompanhamento de física 1 e 2. Há um consenso que essas matérias são consideradas as mais importantes do bacharelado e que devem ter uma atenção especial. Foi encaminhado pedir um relatório sobre a experiência da Profª Renata Funchal ministrando as disciplinas, para que assim uma conversa seja feita futuramente, considerando as reclamações que houve na avaliação de disciplinas desse ano. 

– há uma proposta inicial de se fazer um evento no ano que vem para que se crie um ambiente para conversar sobre a grade curricular.

CoC - Licenciatura

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Isabella Lopes Camara Gonçalves

[licenciatura] [ouvidoria]
boa noite gente, espero que estejam tds bem na medida do possível
post pros alunos da lic:
eu sou representante discente da CoC-Lic e tá meio difícil acompanhar o andamento das disciplinas sem as conversas no corredores heheh acho que tá todo mundo sofrendo com os efeitos do EaD, então quero falar que meu inbox tá aberto se alguém quiser relatar algo em relação as disciplinas (aquela avaliação injusta que a conversa com o(a) professor(a) não resolveu, entre outros…)
pra quem preferir, tb criei um formulário:
Outra coisa, essa mais pros caloures: amanhã, nas aulas de Ciência, Educação e Linguagem pra galera do noturno e diurno, os monitores e eu estaremos disponíveis para conversar sobre trancamentos, cancelamentos e afins no horário da aula (8h e 19h)!
beijos e se cuidem
Texto da
Erika Mesquita

Comissão de Apoio Profissional (CAP)

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Pedro Gabriel Gomes Reis
Rafaela Bueno de Oliveira

Julia Bruno Sorroche
Carlos Alberto Chaves

Comissão de Direitos Humanos

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Priscila Diogo Dias
Vinícius Silva Franção (Pós-graduação)

Comissão de Pesquisa (CPQ)

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Martim Zurita (pós)
João Armando Sandron Galdino

Ata da reunião de 22/9/2021 da CPq do IFUSP 

Por Martim Zurita 

PRESENTES NA REUNIÃO COMISSÃO DE PESQUISA (CPq)

– Presidente: Prof. Oscar José Pinto Éboli -FMA 

– Vice: Prof. Paulo Alberto Nussenzveig – FEP 

– Profa. Marcia de Almeida Rizzutto – FNC 

– Prof. Ricardo Magnus Osório Galvão – FAP 

– Prof. Caetano Rodrigues Miranda – FMT 

– Secretária: Amelia Ferrari Genova 

– Representante discente: Martim Zurita 

 

AACs (ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES) 

  • Conversamos sobre as propostas dos alunos em melhorar as AACs, que serão obrigatórias aos ingressantes do bacharelado do IFUSP a partir de 2022.
  • O professor Galvão destacou que devemos levar em conta a grande evasão da Física. O aluno que cumprir todas as matérias já deve ter condições de se formar. Não devemos exigir mais dos estudantes, principalmente daqueles no curso noturno, que muitas vezes têm que trabalhar. Eu e outros professors concordamos com o posicionamento do Galvão. 
  • O professor Oscar destacou que exigir é diferente de incentivar. É salutar que os alunos sejam incentivados a fazer outras atividades além das matérias, mas isso não deve ser exigido. Deve ser reconhecido o que os alunos já fazem. 
  • Nesse contexto, a CPq foi favorável a aumentar o número de horas de IC de 15h para 20h por semestre e até foi sugerido aumentar para 25h, de modo que com 1 ano de IC e apresentação no SIICUSP o aluno já completaria as 60h (25+25+10). 
  • O professor Oscar ressaltou que as AACs se inserem no projeto político pedagógico (PPP) do IFUSP. Sua aprovação é extremamente burocrática e passa pela comissão de graduação da reitoria (acima da Congregação). Por isso, provavelmente não será possível implementar as modificações propostas nas AACs nesse ano, apenas no ano que vem. Segundo os professores, nós alunos precisaremos fazer uma articulação conjunta com as comissões (COC-Bach, CPq, CCEX e CG) e com a diretoria para discutir o tema. Agora devo conversar com o diretor Manfredo e com o professor Luis Gregório, presidente da CG, para entender sobre os prazos de aprovação e sobre o que pode ser feito. 
  • O professor Paulo Nussenzveig destacou que horas é um nome ruim para quantificar as AACs. Uma IC demanda por exemplo 480h anuais, quando na AAC isso seria contabilizado no máximo como 60h (25+25+10). Concordamos com o posicionamento do Paulo e concluímos que na verdade o correto seria dar outro nome às “horas” das AACs, como por exemplo “créditos-AAC”.

 

 SIICUSP 

  • É o simpósio internacional de iniciações científicas das USP 
  • Ocorrerá no IFUSP. De 18 a 20 de outubro de 2021. 
  • Houve 78 inscritos. 
  • Vai ser como no semestre anterior (vídeos gravados de 10 minutos). 
  • Os vídeos provavelmente serão enviados para a Amélia (secretária do CPq), em formato MP4, com sugestão de número de slides ao redor de 5. 

 

PÓS DOUTORANDOS 

  • Foram aprovados 4 projetos de pós-doc (números 708, 722, 894 e 932). 
  • Foram prorrogados 3 projetos, sem bolsa (números 1225 e dois 867). 
  • Foi encerrado o projeto 231

Reunião da Comissão de Pesquisa (CPq) do IFUSP – 28 de julho de 2021
Ata por Martim Zurita (representante discente)

BOLSAS PUB
– De todos os 47 projetos de bolsa PUB (Programa Unificado de Bolsas para Graduação), 46 foram aprovados (boa notícia!).

BOLSAS DE PÓS-DOC
– O prof. Oscar destacou que o valor da bolsa de e pós-doutorado da USP é baixo (3800 reais/mês). Isso desincentiva os melhores pós-docs a virem para a USP.
– O prof. Adriano concordou, mas ponderou que alguns bons pós-docs usam a bolsa da USP nos primeiros meses esperando o resultado de uma bolsa FAPESP, que tem um valor bem competitivo (7300 reais).

PRÊMIO TRAJETÓRIA PELA INOVAÇÃO
– Houve a indicação da prof. Márcia Fantini, pela FGE (departamento de física geral), mas isso ainda não foi formalizado. Não houve nenhuma outra indicação, e o IFUSP só pode formalizar a indicação de um professor para esse prêmio. A indicação da prof. Márcia deve ser formalizada na próxima semana.

ELEIÇÃO CPQ
– Oscar José Pinto Éboli (FMA) e Paulo Alberto Nussenzveig (FEP) foram indicados pela comissão por unanimidade como os novos presidente e vice-presidente, respectivamente. Foi a única chapa a se candidatar. A votação será feita formalmente na próxima congregação, devendo os professores Oscar e Paulo serem eleitos.
– O mandato atual, com o prof. Adriano e a prof. Marcia de presidente e vice, dura até o dia 17 de agosto de 2021.

AACs (ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES)
– As AACs serão atividades complementares que todos os ingressantes a partir de 2022 terão que cumprir. Ao todo, 60h de AACs deverão ser completadas. Há diversas modalidades de AACs, dentre elas trabalho fora da USP (valendo 10h/semestre), iniciação científica (com ou sem bolsa, valendo 15h/semestre) e monitoria (valendo 30h/semestre).
– As AACs serão discutidas e votadas na próxima congregação (amanhã, 29 de julho de 2021).

PRESENTES NA REUNIÃO
– Presidente: Prof. Adriano Mesquita Alencar -FGE
– Vice-Presidente: Profa. Marcia de Almeida Rizzutto – FNC
– Prof. Oscar José Pinto Éboli – FMA
– Prof. Paulo Alberto Nussenzveig – FEP
– Prof. Ricardo Magnus Osório Galvão – FAP
– Prof. Felix Guillermo Gonzalez Hernandez – FMT
– Secretária (suplente): Andrea Schlegel
– Representante discente: Martim Zurita

Reunião da Comissão de Pesquisa (CPq) do IFUSP – 14 de julho de 2021
Ata por Martim Zurita (representante discente)

AACs (Atividades Acadêmicas Complementares):
– Segundo e-mail enviado pelo professor Renato Higa (em anexo):
-> As AACs serão obrigatórias para ingressantes a partir de 2022. Ou seja, alunos que não fizerem o mínimo de AAC não poderão se formar.
-> Será necessário cumprir 60h de carga horária de AACs, equivalente a 2 créditos trabalho. Uma IC de um ano, por exemplo, contará por 30h (metade do necessário). As outras atividades estimuladas pela CPq estão em anexo. Há ainda atividades de cultura e extensão (estipuladas por outras comissões).
– Segundo a reunião do CPq:
-> As AACs não substituem disciplinas – ou seja, serão “créditos” extras que os alunos terão que cursar.
-> Seguindo sugestão do CTA e da CPG, a carga de AAC de uma Iniciação científica (IC) foi alterada de 20h para 30h.

Projetos Integrados de Pesquisa em Áreas Estratégicas (PIPAE).
– É um edital da reitoria que dará recursos e bolsas a dois projetos por instituto (logo o IFUSP tem direito a dois projetos PIPAE).
– O PIPAE é voltado ao “desenvolvimento de pesquisas estratégicas que possam atender às
demandas da sociedade em rápida transformação” (citando a portaria PRP N822, do edital).
– Houve até o momento 3 inscrições do IFUSP e só podem ser enviadas 2.
– O prazo para envio de propostas à reitoria é 30/7/21.
– Poderá haver bolsas para estudantes da graduação (iniciação científica) e pós doutorado.

Realização do 29o SIICUSP:
– Ocorrerá entre 04 a 29/10/21

Pós-doutorados:
– Foi cadastrado um novo projeto.
– Foram aceitas as prorrogações de projetos de dois pós-doutorados.

Presentes na reunião:
– Presidente: Prof. Adriano Mesquita Alencar -FGE
– Vice-Presidente: Profa. Marcia de Almeida Rizzutto – FNC
– Prof. Oscar José Pinto Éboli – FMA
– Prof. Paulo Alberto Nussenzveig – FEP
– Prof. Ricardo Magnus Osório Galvão – FAP
– Prof. Felix Guillermo Gonzalez Hernandez – FMT
– Representante discente: Martim Zurita

Na reunião da CPQ hoje divulgaram o número de bolsas para a pós.

Nesse semestre serão:

27 bolsas de mestrado para um pouco mais de 70 inscritos;

13 de doutorado para quase 30 inscritos.

Reunião da Comissão de Pesquisa (CPq) – 19 de maio de 2021

Presentes:
– Adriano Alencar (coordenador da comissão)
– Amelia Genova (secretária)
– Marcia Rizzutto
– Caetano Miranda
– Ricardo Galvão
– Oscar Eboli
– Paulo Nussenzveig
– Martim Zurita (representante dos alunos)

1. AACs – ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES
– O IFUSP está se preparando para incluir as AACs no currículo dos alunos da graduação. A ideia das AACs veio do Ministério da Educação (MEC). Pela experiência do prof. Caetano em como foi feito no curso de Ciências Moleculares, esses serão novos créditos a parte, não substituindo disciplinas.
– Atividades como iniciação científica e apresentação de trabalhos em eventos científicos entrarão como AACs. Esses créditos serão obrigatórios e correspondentes em até 10% do total atual de créditos de disciplinas da graduação. Mais de 10% (máximo de 20%) entrará como AAC optativa.
Mais informações no documento em anexo.
– A implementação das AACs no IFUSP ainda está sendo discutida.

2. PART 2021 – PROGRAMA DE ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS 2021
– É um programa de bolsas de pós-doutorado.
– Houve 5 inscritos do IFUSP e 1 aprovado. A proporção de inscrições da USP foi mais ou menos de 1 para 5 também (aproximadamente 80 aprovados em 480 inscritos).
– O Adriano defende que a escolha dos pós doutorandos do PART seja feita feita dentro de cada instituto, pois cada instituto teria melhor capacidade de julgar seus pós docs do que comissões da reitoria.

3. CURSO DE INVERNO IFUSP 2021
– Está sendo preparado um Google Drive onde estarão todas as informações e palestras gravadas do curso.

Reunião da Comissão de Pesquisa (CPq), 28/4/21

Site do CPq: https://portal.if.usp.br/pesquisa/pt-br/grupos-do-ifusp/comissão-pesquisa

Anotações por Martim Zurita, representante discente da pós-graduação

1. Transformar atividades de pesquisa, gestão e extensão em créditos
Provavelmente em 2022 será possível transformar atividades acadêmicas complementares (AACs) em créditos no bacharelado.
Há muitas atividades que se encaixam, como fazer iniciação científica, monitorias, participar de curso de verão, feira de ciência, usp escola, ser membro de comissões. O limite máximo é de 10% da carga horária total do curso.
Mais informações em
http://www.leginf.usp.br/?resolucao=resolucao-cog-cocex-e-copq-no-7788-de-26-de-agosto-de-2019

2. Curso de inverno
– Ocorrerá no final de junho, como dito na última reunião.
– A divulgação será iniciada em breve.
– Apenas 1 dia será ao vivo, com mesas redondas de discussão e perguntas. As palestras serão gravadas e disponibilizadas 1 semana antes dads mesas redondas.
– Caetano defende que a edição digital do curso permite que hajam mais inscritos. A maior limitação seria o número de pessoas no zoom.
– Ficou sugerido que será feita uma transmissão simultânea no YouTube aberta a todos e apenas os inscritos no zoom receberiam certificado (seria muito difícil contar a presença no YouTube).

3. Colóquios
O Adriano está muito ocupado e não está dando conta de administra-los sozinho. O comando deles foi passado ao Paulo e ao Oscar. Serão iniciados em maio e com previsão semanal (quintas-feiras às 16h).
Próximos Colóquios:
– 6 de maio – prof. Júlio Larrea, que acabou de publicar artigo como 1o autor (página do colóquio: https://portal.if.usp.br/pesquisa/pt-br/coloquios/proximos)
– 13 de maio – Sergei Frolov – sobre férmions de maiorana (no dia 14 está marcada uma palestra na Física Matemática sobre a medida do muon no Fermilab)
– 20 de maio – prof. Marcia Castro, de Harvard – publicou artigo na Science sobre transmissão de Covid
– 10 de junho – prof. Gabriel Landi

CURSO DE VERÃO

As palestras durarão ~45 minutos e serão pré-gravadas.

Ideia do Adriano: fazer uma mesa redonda com palestrantes de uma mesma área no sábado. Assim podem discutir os temas das palestras. Os membros concordaram.

Os laboratórios serão filmados para serem mostrados aos participantes.

Estão pensando em adiar o curso para 26 de junho (fazer um “curso de inverno”), devido às dificuldades da pandemia e para dar tempo de filmar os laboratórios e desenvolver as palestras.

Link do esboço do curso: http://portal.if.usp.br/pesquisa/pt-br/system/files/Esboço%20do%20Curso%20de%20Verão%202021.pdf

Encaminhamentos ao RD:
– Divulgar as palestras gravadas nas redes sociais (no período do evento).

COLÓQUIOS

Haverá um colóquio do Galvão no final de março (entre 23 e 26 de março).

Encaminhamentos ao RD:
– Perguntar se os alunos têm alguma sugestão de palestrante que gostariam de ouvir.
– Perguntar porquê os alunos têm pouco interesse nos colóquios (fazer uma enquete). Exemplo:
“Por que você normalmente não assiste aos colóquios?”
1. Tema muito complexo, absorvo pouco
2. Falta de tempo
3. Falta de costume de ir
4. Não fico sabendo dos colóquios
5. Em muitos temas não me interesso muito
6. Outra questão (comentar)
7. Na verdade assisto à alguns colóquios sim

PRÊMIO TRAJETÓRIA PELA INOVAÇÃO

É um prêmio dado a um pesquisador que tenha uma carreira focada na inovação. Adriano quer que o Instituto selecione apenas um nome, para que não haja concorrência interna.

PRÊMIO CNPq PARA BOLSISTAS PIBIC/PIBITI

Foram indicados pela CPq os alunos Pedro Lucas Oliveira Silva e Mariana Oliveira Abati. Eles obtiveram as maiores notas do IF na primeira fase do SIICUSP* 2020, tendo respectivamente bolsas PIBIC e PIBITI (outras bolsas não entram na seleção do prêmio).

* SIICUSP: Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP

PAUTA DA REUNIÃO

1ª Reunião Ordinária da Comissão de Pesquisa do IFUSP do ano de 2021

Data: 10/03/2021, quarta-feira, às 11h00

1. Comunicações do Presidente

a) Boas vindas ao representante discente Martim Zurita

b) Colóquios

c) Prêmio Trajetória pela Inovação

 

2. Comunicação dos Membros

 

3. Aprovar

a) Prêmio CNPq para bolsistas PIBIC/PIBITI 

b) Atas das reuniões

4. Referendar

b) Pós-doutorados

5. Assuntos a deliberar

b) Curso de Verão 2021 (documento anexo)

 

6. Comunicações

-Houve uma longa discussão fora da pauta sobre o colóquio. Os membros se mostraram  descontentes com o cancelamento do próximo colóquio. O colóquio seria sobre a criogenia e o entendimento era que o prof. Rafael seria o palestrante. Foi sugerido que déssemos prioridade a outros colóquios por ora e o prof. Caetano assumiria 

-Prêmio Benjamin Franklin: Dpts. devem indicar candidatos. O único por enquanto é do grupo do Figueiredo.

-Banca do SIICUSP: formamos maioria com bancas não-temáticas. A ideia é expor os alunos a visões diversas, com tentativa de misturar membros teóricos e experimentais. 

-Curso de verão: discutimos bastante o modelo das aulas. Chamei a atenção para não torná-las maçantes. Os membro pareceram bastante sensíveis a questão e abertos a sugestões. O Adriano mencionou que a dinâmica das  oficinas fica difícil do ponto de vista técnico mas dá pra fazer com adaptações. 

-Labs 360: Surgiu a proposta de dar uma turbinada no projeto de Labs 360 até o curso de verão. A ideia é que os pesquisadores disponibilizem seus labs para que sejam fotografados e digitalizados para visitas virtuais.

-CAPES/PNPD: Ficou pra próxima reunião. 

-Oscar cobrou dados sobre o instituto: alocação de pós docs, bolsas etc… De acordo com ele falta muita info pra comissão de pesquisa trabalhar em cima.

[informe][bolsas da pós graduação]
Nos últimos anos, com a justificativa da limitação orçamentária provocada pela Lei do Teto dos Gastos tanto o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) quanto a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) têm apresentado propostas de novas formas de atribuição e distribuição das suas bolsas, definindo áreas de pesquisa aplicada como prioritárias e comprometendo diversos Programas de Pós-Graduação, como é o caso do Programa de Pós-Graduação em Física, considerado Programa de Excelência pela avaliação CAPES e o Programa Interunidades em Ensino de Ciências (PIEC).
No final de 2019, o CNPq anunciou uma alteração na forma de distribuição de suas bolsas, a ser implementada a partir do 2º semestre de 2020. Antes concedidas pela agência diretamente aos programas de pós, elas passarão a ser atribuídas de forma temática. […] O grande problema é que os editais serão focados em ciências aplicadas, tecnologia e inovação, o que exclui ciências básicas e ciências humanas em especial.
Quanto às bolsas da CAPES, a agência anunciou em fevereiro de 2020 um novo modelo de distribuição entre centros de pesquisa do país, […] O que poderia significar uma valorização de programas menores de pós-graduação acabou se mostrando uma realocação desordenada.
Com a realocação de bolsas da CAPES, os cursos de Doutorado dos dois programas perderam da ordem de 20% bolsas: o Programa da Física perdeu 10 das 49 bolsas e o PIEC perdeu 05 das 21. Os cursos de Mestrado, por outro lado, tiveram situações opostas, enquanto o Programa da Física ganhou 03 bolsas, passando de 20 a 23, o PIEC perdeu 04 bolsas, passando de 21 a 17 bolsas.
Por possuir uma maior autonomia orçamentária e visando manter compromissos firmados, a Pós em Física optou por converter 06 bolsas (as 03 novas e outras 03 que já possuía) em 04 bolsas de doutorado durante o primeiro semestre de 2020. Prevê uma situação não muito diferente no próximo.
O PIEC já se encontra em uma situação delicada, no processo seletivo de bolsas que realizou no primeiro semestre conseguiu atribuir apenas 04 bolsas para alunos de mestrado […]
A situação da pós-graduação brasileira é assombrosa para o próximo semestre. Sem bolsas CNPq garantidas e com pouquíssimas bolsas da CAPES, Programas de Pós-Graduação de Excelência (caso da Pós em Física) ou de Apoio à Pós (caso do PIEC) serão totalmente sucateados.

Comissão de Cultura e Extensão (CCeX)

Clique para enviar email aos Rds da comissão

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Mariana Madeo Morilhas
Rodrigo dos Anjos Silva

Reunião CCEx 25/08

Rodrigo dos Anjos Silva Anúncios Presidente

Cristiano Oliveira – Começou apresentando a reunião. 111° reunião ordinária da comissão de cultura e extensão do IFUSP. Perguntou sobre a aprovação da Ata da reunião passada (110º), e foi aprovada.

Cristiano Oliveira – Informou sobre o primeiro congresso de cultura e extensão da USP, será na 2º quinzena de Novembro/2021 (edital será lançado nos próximos dias). A ideia é que esse congresso seja híbrido, mas será decidido com o tempo.

Cristiano Oliveira – Falou sobre o edital USP Diversidades, falando sobre possibilidades de bolsas de IC, mestrado, doutorado e PD.

Cristiano Oliveira – A PRCEU/reitoria estão pensando em uma proposta de ‘bolsa produtividade USP’ de modo a privilegiar professores que ‘fazem’ cultura e extensão (vai passar mais informações quando tiver).

Cristiano Oliveira – Lançamento oficial das unidades móveis nesses próximos dias. A inauguração será no Memorial da América Latina (projeto USP na Comunidade – Unidades Móveis). Será dia 26 de agosto de 2021, quinta-feira, 10h30. Com visitação de 26 a 29 de agosto de 2021, das 10h – 16h.

Cristiano Oliveira – Agora começar a falar sobre o USP Móvel. Comentou sobre 5 projetos propostos no IFUSP para o USP Móvel. Apresentou cronograma inicial para abordar esses 5 projetos/atividades, com o cronograma de 5 dias das 9h até às 22h. Planejou o cronograma de modo que tenha todas as atividades abordadas nos 5 dias de manhã/tarde/noite, para que alunos que só possam participar de manhã/tarde/noite conseguirem participar de todas as atividades oferecidas. Cada atividade se ‘repete’ 3x ao longo do período.

Fuad Saad – Perguntou qual é o público alvo dessa atividade;

Cristiano Oliveira – Responde que eles dizem que é “público em geral”. Disse que as escolas/público pode escolher o que mais interessa para cada.

Fuad Saad – Perguntou “o que seria interessante para nosso país, para nossas escolas, para nossa universidade?” para refletir como planejar as atividades. “é fundamental o professor”. “Fazer uma atividade dessa que cabe 15/20 alunos é muito pobre”. “Se nós conseguirmos erguer um pouco o nível atual dos professores, conseguiremos atingir um público muito grande”. Questionou também quem vai dar esses cursos, quem vai participar do evento.

Cristiano Oliveira – Disse que concorda mas ainda não sabe. Deu ideias: levar carreta e montar tendas e mesas de trabalho para fazer as atividades e isso pode atingir mais pessoas.

Fuad Saad – Fala que no papel é um espetáculo, mas na hora de montar, quem vai montar? Disse que tem que ter um ‘piloto’ para ver como isso funciona, para, segundo sua analogia, a ponte não cair (analogia de ter um engenheiro para ver detalhes para não deixar a ponte cair).

Marcia Rizzutto – Comentou sobre a dinâmica de ir para escolas do interior, e perguntou se todos os professores/equipe tem que estar lá.

Cristiano Oliveira – Disse que você tem que estar apenas no dia que você vai ter atividade. E que, por enquanto no projeto piloto, será feito apenas em região próximas (próximo tipo Campinas no máximo).

Marcia Rizzutto – Propôs que caso seja lugar distante não tenha 3 tipos de atividades, mas 1 só para que não tenha que ir uma grande equipe.

Cristiano Oliveira – Reforça que a ideia é que seja próximo da USP para que possa ir e voltar no mesmo dia. E que talvez apresentar atividade o dia todo seja muito cansativo.

Marco Leite – Perguntou se esse documento (com o cronograma e nomes) é para enviar para a reitoria para aprovar ou não.

Cristiano Oliveira – Disse que a reitoria está esperando que cada um faça o seu planejamento da melhor forma para cada um.

Marco Leite – Disse que gostou bastante. E propôs o primeiro e o segundo (testes) serem mais próximos, para conseguir que todos participem também.

Cristiano Oliveira – Disse que vai ter verba para conseguir monitores de apoio, e é bom porque engaja alunos para participar. E é sempre bom ter alunos que conhecem aquilo e a coisa funciona bem.

Fuad Saad – Disse que tem que pensar no estado inteiro.

Cristiano Oliveira – Disse que é possível no futuro. Mas no agora é mais mostrar que isso funciona bem, justificando mais apoio. Então no início tem que ser próximo da USP.

Sergio L. Morelhao – Disse que tem algumas atividades que é meio difícil de saber o que vai acontecer. E que é interessante que os professores responsáveis delas sejam mais qualitativos sobre as atividades. Para que as pessoas que vão avaliar a proposta consigam visualizar melhor.

Cristiano Oliveira – Disse que a forma como será feito cada atividade depende do local. Se vai ser feito só dentro da carreta, se vai ser fora, se vai ter tenda etc. Depende da logística.

Sergio L. Morelhao – Continua argumentando que poderia ter mais detalhes em cada atividade. Em palavras simples, para que ajude a pró-reitoria saber o que precisa oferecer.

Cristiano Oliveira – Concorda e diz que poderiam colocar os materiais e detalhes em linhas gerais. E propôs que em cada detalhe de cada atividade os professores responsáveis coloquem quantos monitores seriam necessários.

Cristiano Oliveira – Finalizou USP Móvel e começou sobre a Feira USP e as Profissões. Apresentou cronograma do IFUSP. Comentou sobre as 3 atividades que serão ao vivo. Perguntou se tem ideias e tal para bater o martelo e fechar para semana que vem.

Nesse momento tive que sair da reunião.

PAUTA: 111ª Reunião Ordinária da Comissão de Cultura e Extensão do IFUSP

DATA: 25/08/2021 14h

LOCAL: Plataforma ZOOM: https://zoom.us/j/525038624 525-038-624

SENHA: 417663

  1. Aprovação da Ata 110ª da reunião virtual CCEx.

  1. EXPEDIENTE:

    1. Informes do Presidente

      1. Participação como convidados: Profa. Márcia de Almeida Rizzutto, Prof. Mikiya Muramatsu, Prof. Fuad Daher Saad e Prof. Marco Leite.

    1. Informes dos membros

  1. ORDEM DO DIA:

    1. Assuntos para aprovação: Não há.

    1. Assuntos para referendar: Não há.

    1. Assuntos para deliberação/discussão:

3.3.1- Projeto USP Móvel

3.3.2 Feira USP e as Profissões 2021 virtual

    1. Assuntos para menção nas reuniões do respectivo Conselho de Departamento: Não há.

    1. Assuntos para levar à reunião do Conselho de Cultura e Extensão: Não há.

Informes da reunião da CCEx de hoje:

01. Na última reunião do ano passado foi mencionada a criação de um projeto da PRCEU chamado USP Móvel. A ideia é levar a produção cultural e científica da faculdade para a comunidade através de duas unidades móveis (aka carretas) de 15m que circulariam na capital e interior de SP. Já rolou uma licitação e foi definida a empresa que vai fornecer as carretas, infraestrutura e motorista. Ainda não existe um prazo muito bem definido pra quando o projeto vai começar por conta do covid, mas as carretas já estarão disponíveis a partir de 15/04/2021 (a princípio). Serão duas modalidades: Escola Móvel, que vai ter uma infraestrutura pensada para aulas, palestras e afins; Laboratório Móvel, que vai ter uma infraestrutura pensada para apresentação de experimentos e afins. Nesse primeiro momento não vai rolar edital, mas cada unidade vai ficar responsável por receber manifestações de interesse e pensar quais projetos são mais interessantes. O recebimento de propostas vai rolar até o final de abril, pelo que entendi. Ainda estão sendo pensadas algumas questões como hospedagem de participantes (quando o projeto for para o interior de São Paulo), acesso da da unidade às escolas (porque a carreta é gigante), e coisas nessa linha.

02. O professor Sérgio Luiz Morelhão contiua responsável por coordenar o Física Para Todos em 2021, mas está encontrando dificuldade em agendar palestras, tendo em vista a falta de interesse dos palestrantes. Existe uma proposta temática associada a Energia Renovável e Meio Ambiente para 2021. Se alguém tiver sugestão de possíveis palestrantes sobre o assunto, podem encaminhar pra mim. É legal lembrar que, enquanto o evento estiver ocorrendo de maneira remota, existe a possibilidade de receber brasileiros que residem em outros países para realizarem as falas. A ideia para esse ano é continuar realizando o evento no Zoom e YouTube, uma vez que o zoom cria uma certa sensação de maior proximidade e o YouTube é mais acessível.

03. Acho que essa é a parte mais importante pra gente. O último item discutido foi a respeito de AACs (Atividades Acadêmicas Complementares). Aparentemente teve uma resolução que torna obrigatória possibilidade de registro dessas AACs como crédito aula ou trabalho, a qualquer momento antes da conclusão do curso, para atividades realizadas a partir de janeiro de 2015. O pedido será feito pelo estudante através do Jupiter e as vertentes possíveis são atividades associadas à CG, CPq e CCEx, e essas comissões serão responsáveis por avaliar os pedidos a depender da categoria registrada pelo aluno. Vou mandar um documento com essas questões mais detalhadas porque passaram meio rápido por isso na reunião, já que era um informe e não uma discussão/deliberação.

Anexo: Resolução AAChttps://drive.google.com/file/d/15s3bbW1FtY90lRrH0SrbTjIEOIIvHhxO/view?usp=sharing

DEPARTAMENTOS

 

Reunião do Conselho do Departamento de Física Nuclear

RD (pós): Lucas de Arruda Serra Filho

Comunicados:

→ Armários de produtos químicos que o instituto comprou: estamos vendo de um destes ficar localizado no Mario Capello, por parecer uma posição estratégica e vantajosa para várias pessoas. Nos próximos dias deve haver decisão sobre isso.

→ Alguns funcionários estão sendo pegos sem máscara. O chefe do departamento está avaliando a possibildiade de notificar por escrito acontecimentos como este. Também foi reforçada a necessidade de se manter a máscara dentro dos escritórios no caso do Oscar Sala,  pois se trata de um ambiente fechado.

→ Está previsto para ter início (talvez ainda esse semestre) a avaliação institucional, a nível de departamento/instituto. Não sabemos ainda quais os critérios e metodologias a serem adotadas.

Informes: 

CG: nenhum informe.

O chefe frisou a preocupação sobre a preparação do instituto para receber as aulas presenciais (adequação de salas de aula, espaçamentos de carteiras, etc). 

CPG: nenhum comunicado. 

CPq: Existe um empenho grande da comissão para manter os colóquios. 

CeE: Existe uma proposta da comissão de cultura (CeE) e extensão de que o Física para todos seja associado à Física Médica no ano que vem, motivado pelo novo bacharelado. Assim que a proposta estiver concluída será repassada. 

RH: nenhum comunicado. Trouxeram a possibildiade de organizar um curso de Arduino para os funcionários, o prof. Alexandre se dispôs a realizar o curso bastando haver demanda. 

Laboratório: a máquina já voltou a operar e os técnicos já estão trabalhando.

LINAC: nenhum comunicado.

Comunicações dos membros: nenhum comunicado.

Grupo pós COVID: mais de 95% tomaram primeira dose e  mais de 70% tomaram as duas doses. (ps: nem todos devem ter relatado a vacinação). Também propôs ao pessoal do hackerspace para desenvolver alguma métrica para ventilação de ar (arduino + sensor de CO2, por exemplo; como sugerido pelo prof. Vito ).

Ata de Reunião do CDFN, realizada em 16/09/2021, aprovada por unanimidade.

Solicitação de inclusão no Programa de Pesquisador Colaborador da USP, do Dr. Neilo Marcos Trindade. Relator prof. Leandro R. Gasques. Aprovado por unanimidade. 

Solicitação de transferência do prof. Valdir Guimarães para o Departamento de Física Geral.  Aprovado por unanimidade.

 

Reunião do Conselho do Departamento de Física Nuclear

RD (pós): Lucas de Arruda Serra Filho

Comunicados:

→ Amanhã (17/09) tem eleições para chefe de departamento.

→ Uma das reformas do DFN já estão engatilhadas.

→ Saiu essa semana o resultado da progressão horizontal da carreira docente, todos no departamento foram indicados, o que provavelmente significa que todos foram promovidos; Promoções excepcionais de associado 1 para associado 3 foram negadas.

Informes: 

CPG: 

CNPq liberou cota a partir do segundo projeto submetido, com isso temos agora um número razoável, apesar de pior do que o número médio que tínhamos:

ME: 19 CAPES + 15 CNPQ.
DOC: 7 CAPES + 10 CNPQ

O CNPq criou um regra que tem sido criticada bastante: quando um aluno desiste da bolsa (normalmente para aceitar uma bolsa FAPESP), os meses que ele utilizou não retornam, como era antigamente. Isto significa o seguinte: suponha que um aluno teve bolsa CNPq  por 6 meses, desistindo desta para aderir à uma FAPESP. Antigamente, essa bolsa voltaria para o programa com tempo integral, sendo possível oferecê-la durante os 2 anos a outro estudante. Agora, apenas retorna ao programa 1.5 anos (2 anos – 6 semes), no caso deste exemplo.

Laboratório:

Já está voltando à atividade (aprox. 50% dos técnicos presentes, que são por volta de 12). Já foram feitos repadors no sistema de água.

A reforma da fonte de íons parou no meio. Os responsáveis são os mais jovens, que retomaram as reformas após imunização completa.

Grupo pós COVID:

→ Pedemq ue informem o grupo os que tomaram segunda dose!

Das informações atuais: 93% dos servidores/docentes tomaram a primeira dose,  66% a segunda também. PS: estas porcentagens podem ser maiores porque não sabemos se todos informaram;





REPASSE DFGE 

– Elcio Abdalla entrou na atribuição didática deste semestre com a disciplina: 4300430 – Introdução a Cosmologia Física.

– Projeto de alteração do Bach prosseguirá para discussão sem propostas de alteração por parte do departamento.

– Rumores de entrada de dinheiro pra estruturar as salas de aula com equipamentos para gravar as aulas.

1ª PARTE – EXPEDIENTE:

 COMUNICAÇÕES 

I.1 Comunicações do Chefe;

Andamento das reformas do lab da prof. Márcia Rizzutto, dos escritórios e do térreo (antiga área de computação):
O projeto do laboratório da professora Márcia está bem adiantado, portanto as obras devem começar logo.

Quantos aos outros projetos, ainda são necessárias correções para adequar na legislação, principalmente com relação à segurança (rotas de fuga, etc). 

I.2 Comunicações dos representantes do FNC nas Comissões Institucionais de Graduação, Pós-graduação, Pesquisa e de Cultura e Extensão, Comissão de Recursos Humanos;

Graduação: sem informes.

Pós graduação: sem informes. (membro não presente mas enviou o recado)

Cultura e extensão: nenhuma comunicação. Labmóvel ainda está sendo tratado, aguardam notícias. Precisam de sugestões de temas para o projeto “Física para Todos”.

Pesquisa: (membros não presentes.) 

Recursos humanos: está sendo realizado o curso referente à norma NR10 para todos os funcionários.

Laboratório: está sendo feita instalação das luminárias na sala experimental do Pelletron. Estão esperando chegar as lâmpadas de LED para instalação. 

LINAC: Agora existe uma portaria eletrônica com acesso usando carteirinha.  Quando passarem, conferir que a porta está realmente fechada.

Membros do departamento: um membro manifestou uma preocupação com relação à fiação da iluminação do Pelletron (fios antigos e conduítes de metal); estão sendo trocadas as lâmpadas mas não a fiação. 

→ Farão a inspeção dos fios.  

 

  1. ATAS

II.1 Discussão e aprovação da Ata de Reunião do CDFN, realizada em 10/05/2021.

Aprovada por unanimidade. 

 

2ª PARTE – ORDEM DO DIA:

III. ASSUNTOS A SEREM DELIBERADOS

III.1 Indicação de representante titular e suplente do DFN junto à Comissão de Consultorias e Convênios do IF;

Aprovada por unanimidade a continuação dos representantes atuais.

III.2 Aprovação das mudanças no Projeto político-pedagógico (PPP) do curso de Bacharelado do IFUSP;

Há duas mudanças:
I – Introdução das AACs (atividades acadêmicas complementares) a serem implementadas a partir de 2022. esta é uma exigência da secretaria estadual de educação e agora da pró-reitoria de Graduação. (exemplos de atividades: iniciação científica, monitoria, participação em colegiados, colóquios, etc.). Estas atividades podem ocupar até 10% da carga horária total do curso. No nosso curso a proposta é ocupar 3.6 % das atividades. 

São discutidas na USP desde 2014, propostas em 2019, cobradas do IF em 2020.

II – Reforma da área computacional.

Antes

1º Semestre

2º Semestre

3º Semestre

4º Semestre

5º Semestre

6º Semestre

 

Intr. Comp.

    
 

MAC0115(4)

   

Calc. Num.

     

MAP0214 (4)

Total: 20

Total: 20

Total: 20 + 2

Total: 18 + 2

Total: 12 + 2

Total: 16

       

Depois

1º Semestre

2º Semestre

3º Semestre

4º Semestre

5º Semestre

6º Semestre

 

IFC-2

    

IFC-1

4300318 (2)

  

MAP0214 (4)

 

4300218(2)

  

MAC0115 (4)

  

Total: 22

Total: 18

Total: 20+2

Total: 22+2

Total: 16+2

Total: 12

(tabela apresentada na reunião)

Após discussão, os membros do conselho não se sentem (em maior parte) confortáveis para já aprovar o documento proposto sobre a PPP. 

III.3 Revisão da posição do DFN sobre a definição de carga simples e dupla.

(Abaixo, reprodução da proposta)

2) Definião de carga didática do DFN

Unificar a definição de carga didática do IF

Proposta: uma carga corresponde a uma turma de 4 ou 6 horas

Perspectiva: adequação gradual ao artigo 52 do Estatuto Docente

Incorporar as modalidades de atividade didática aceitas pela PRG: IC, Tutoria, …

Mais tarde: retomar a discussão do número de horas de acordo com a necessidade

A sugestão proposta foi adotada por unanimidade.

Comunicados:

→ A troca da iluminação das salas experimentais do pelletron estão apra ser assinadas.

→ Temos uma série de reformas para acontecer, entre elas o telhado do oscar sala (remoção + impermeabilização da laje + readequação dos dutos de ar condicionado para evitar infiltração) e a construção de um abrigo de gás para o HEPIC.

→ Outras reformas estão sendo discutidas: começaremos por trocar as divisórias por drywall, a partir do 2º andar (onde a situação está mais crítica). Estão compondo uma proposta de adequação do projeto que inclua as regras de segurança.

→ Haverá em breve uma avaliação institucional pela CAE.

Informes: 

Graduação: voltaremos a discutir o que é carga dupla/simples. Por causa da pandemia, há docentes do IF que oferecem disciplinas para a POLI e dão aula para 300 alunos. Os departamentos são soberanos na definição do que é carga simples e carga dupla, sendo que a CG não pode impor uma definição a eles. Uma decisão bem antiga do FNC consiste em considerar 6 créditos como carga simples (e por consequência 12 créditos como carga dupla). A FEP já considera 1 turma (seja 4 ou 6 créditos) cara simples. Argumentaram que existe necessidade da adequação destas definições;

Pós: Extensão dos prazos para PG: serão admitidos 2 anos além dos regimentais para mestrado e doutorado (que tiveram início antes de 2020) desde que seja feito o pedido de prorrogação.

Ata da reunião anterior aprovada com 1 abstenção.

A pauta mais relevante que vale destacar, é a do novo Estatuto de Conformidade de Conduta.

Os professores estão meio perdidos em relação ao que fazer sobre o Estatuto. Primeiro pela linguagem, eles admitiram certa dificuldade em relação ao “juridiquês” e reconhecendo isso, eles acreditam que ter alguém especializado na área jurídica irá ajuda-los nessa construção de novas sugestões para este estatuto. Ou também, a possibilidade se juntar a alguma comissão já existente para tentar contribuir com isso. Uma aluna da pós, a Dimy, escreveu um documento com sugestões e este foi apresentado junto com um documento que a DFAP também escreveu para se basearem também em como proceder.

Prof Leandro Barbosa irá assumir uma posição no Sirius, portanto passará 2 anos afastado do IFUSP. Teremos um concurso de professor substituto (com período de 2anos) assim que os trâmites sobre esta matéria se finalizarem.

– A posição do DFGE é a de rejeitar a proposta da reitoria do Estatuto de Conformidade dado seu caráter extremamente problemático. Propõe-se a adoção de um amplo debate após o fim da pandemia (para que se tenha um debate mais justo e democrático em espaços de fala universais) criando-se comissões plurais, abraçando todos os setores da comunidade acadêmica, que terão a missão de promover o debate amplo, e elaborar uma contra proposta.

– Em breve sairá um link com informações dos últimos 20 anos de todas as disciplinas dadas pelo IFUSP.

– Saiu edital PIBIC/PIBITI/PIBIC-EM

– Prof Gil Marques se aposentou e Prof Sartorelli irá se aposentar até o fim do semestre.

– Devido aos esclarecimentos da reitoria a Física não é apta a pedir reposição das posições de prof titular…

– CSCRH -> (Possível a confirmar com o Diretor)centralização dos serviços de RH’s em um local a se definir no campus.

– Curso de Verão terá 5 temas. Palestras gravadas de 45 minutos. O curso sincrono terá apenas 5 horas e ocorrerá no último sábado do mês de Junho. Não haverão mini cursos.

– no edisciplinas na matéria 4301000 – lab de demonstrações  de livre acesso tem demonstrações de vaaaaarios experimentos de Física gravados.

  • Começo, ainda bem embrionário, de discussão pra criação do Núcleo (inter-institutos e interdisciplinar) de biofísica. Conversas caminhando mas nada concreto ainda.

  • Questão da notícia maravilhosa das bolsas da pós: confirmadíssimo.

  • Professores animados pra fazer curso de verão (apesar de tá muito tarde pra isso)… talvez role em um formato meio diferente…mas os prof do DFGE estão topando dar.

Comissão de Pós-graduação

Clique para enviar email ao Cefisma,  Rds da comissão não informaram emails

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

Fernando de Almeida Passos
Cauê Kaufmann Ribeiro

Comissão de Biblioteca

Clique para enviar email aos Rds da comissão 

(nomes em negrito = titulares
 nomes em itálico = suplentes)

André Fellipe Vieira dos Santos
Marina Izabela

Martim Zurita (Pós-graduação)

Siga-nos e entre em contato